sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Após o 25 de abril as boas novas no Externato António Soares Barbosa em Ansião

Vivia-se um tempo de novidades, a contínua "Maria Nena" da Sardezela, poucas ordens dava, e as que dava, os alunos faziam troça e orelhas moucas…Finalmente rapazes e raparigas podiam conversar sem ninguém os recriminar, usar os mesmos recreios que até ali eram separados, podiam sorrir, podiam fazer tanta coisa, bastava descobrir!
Radical foi o Prof. de Inglês, muito à frente contava aventuras de viagens vividas, dizia ele que gostava nas férias de fazer croché na esplanada, ora esta conversa vinda de um homem naquela altura tinha tudo para ser esquisita...Exames só se fez um, para cada seção -, Português e Matemática.
Aprovada a Letras à "rasquinha" com dez valores no liceu D. Duarte em Coimbra.Chumbei a Ciências! Mais um ano...Já tinha a bata toda assinada, contava que passava e não hesitei em pedir autógrafos dos colegas, outro remédio não tive que a lavar na máquina a 70º que em minha casa já havia, e sem modéstia sei foi a primeira em Ansião na década de 60.
Ano novo e novo chumbo, durante o exame passei o tempo a olhar pela janela a pensar no meu príncipe… Na prova de desenho, uma colega perguntou-me de soslaio " semelhantes quer dizer que são iguais?" nem tinha lido o que se pedia no texto…
Em cima nos Olhos d'Água, e em baixo na Mata Municipal
Sapiência da minha mãe, depois de dois anos consecutivos de chumbos, vi-me resignada e obrigada a ficar em casa a tomar conta das tarefas domésticas,  e no final do ano com dezoito anos, propunha-me a exame, no seu dizer, para dar valor aos estudos, e assim foi. Coitado de quem é mãe, sei que sofria,viúva no papel de pai e mãe, mas atenta ao ter conhecimento que os alunos vindos das ex-colónias se podiam matricular, apesar de ter expirado o prazo das matrículas, sendo que o Estado tolerava a dilatação da data limite para que nenhum aluno saísse lesado. Assim confirmou telefonicamente para o Liceu de Coimbra se ainda me poderia matricular, onde foi bem atendida e esclarecida, pois a encaminharam para a  Escola Secundária de Pombal, por ser mais perto, podia ir na carreira diária e regressar ao final do dia e assim concluir o 5º ano. Sofri horas na pele com tão grande castigo, mas aprendi a lição, apesar de pequeno, pois aportei a Pombal no dia 10 de dezembro, depois do feriado de Nossa Senhora da Conceição, quando entrei na sala dei conta que a turma todos me pareciam crianças e eu mãe deles...Senti uma tamanha vergonha que logo interiorizei as asneiras na minha vida e me fiz ali crescer.Dias depois no primeiro ponto de matemática que sempre tive dois valores no máximo nove, arrebatei 17,3!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog