sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Arte em reciclar papel

O papel é um material de suporte da informação escrita que produz fortes impactos negativos sobretudo ao nível da produção.
De facto, embora a matéria prima se possa considerar renovável a madeira, proveniente das árvores, sendo que a sua produção conduz normalmente a extensas monoculturas de espécies exóticas, como o eucalipto em Portugal, que têm como consequência o desaparecimento da quase totalidade da fauna e da flora nativas.
A reciclagem do papel é tão importante quanto sua fabricação.
A matéria-prima para a fabricação do papel já está escassa, mesmo com políticas de reflorescimento e com uma maior consciencialização da sociedade em geral.
Com o uso dos computadores, muitos cientistas sociais acreditavam que o uso de papel diminuiria, principalmente na indústria e nos escritórios, mas não ocorreu e o consumo de papel nas duas últimas décadas do século XX foi recorde.
O papel reciclado pode ser aplicado em caixas de papelão, sacolas, embalagens para ovos, bandejas para frutas, papel higiénico, cadernos e livros, material de escritório, envelopes, papel para impressão, entre outros usos.
A reciclagem do papel é um procedimento que permite recuperar as fibras celulósicas do papel velho e incorporá-las na fabricação de papel novo. Não é um processo isento da produção de resíduos, mas a produção de pastas virgens também não o é, e assim sempre se minimizam os problemas relacionados com a produção de matéria-prima e com a destruição do papel velho.
A reciclagem do papel é o reaproveitamento do papel inutilizado para produzir papel reciclado.
Há duas grandes fontes de papel a reciclar:
As aparas pré-consumo (recolhidas pelas próprias fábricas antes que o material passe ao mercado consumidor) e as aparas pós-consumo (geralmente recolhidas por ecopontos de ruas). De um modo geral, o papel reciclado utiliza os dois tipos na sua composição, e tem a cor creme.
A aceitação do papel reciclado é crescente, especialmente no mercado corporativo. O papel reciclado tem um apelo ecológico, o que faz com que alcance um preço até maior que o material virgem.

DIFERENTES CLASSES DE PAPEL:

O lixo derivado do papel de escritório é formado por diferentes tipos de papéis. Os programas de reciclagem dão valores diferentes à colecta de algumas categorias, como o papel branco de computador., que é considerado "apara nobre".•
Os papéis mesclados, contendo diferentes fibras e cores, são também colectados para reciclagem, embora tenham valor menor.
Os papéis higiénicos não são encaminhados para reciclagem. O mesmo ocorre com papéis vegetais, parafinados, carbono, plastificados e metalizados.
As etapas do processo de produção de papel reciclado a partir de aparas de papéis:
Etapa 1:
Entrega das aparas (fardos) na fábrica recicladora de papel
Passam pelo controle de qualidade onde é classificado
Vão para o stock de aparas
O lote do stock mais antigo vai para as linhas transportadoras
Num tanque cilíndrico tipo liquidificador chamado” Hidrapulper” onde se desfaz o papel, juntamente com água industrial
Depois de desfeito, a bomba puxa a massa de celulose para outras etapas
Etapa 2 – O turbo tira todos os plásticos da massa.
Etapa 3 – No processo de centrifugação, existe uma peneira que filtra as impurezas (fibras, areia, clipes, agrafos pregos, etc.)
Etapa 4 – No processo de refinação da massa de papel são adicionadas soda cáustica e água para retirar as tintas.
Em seguida são aplicados os compostos químicos à massa: sulfato de alumínio, amido de mandioca, etc., para branqueamento da pasta de papel.
Etapa 5 – Caixa de entrada da máquina de papel
Etapa 6 – Mesa formadora (vácuo retira humidade excedente)
Etapa 7 – Prensa acerta o grão da folha do papel
Etapa 8 – O papel passa pelos rolos secadores
Etapa 9 – Chega até a enroladora
Etapa 10 – Forma-se o rolo de papel
Etapa 11 - O rolo é transportado por ponte rolante até a rebobinadora
Etapa 12 - O papel é rebobinado conforme formato da bobina
Etapa 13 - A bobina de papel acabada vai para o controle de qualidade
Etapa 14 - Vai para o stock, podendo ser vendida ou vai para a cartonagem, transformando-se em chapa de papelão, a fim de ser industrializada como caixas de papelão
Se olharmos com cuidado e bem de perto para uma folha de papel percebe-se que o papel é feito de inúmeras fibras que se cruzam. São elas que lhe dão resistência.
Dependendo do tipo de polpa que é usada para fazer o papel (pode ser pinho, eucalipto ou até outras fibras vegetais como algodão, linho, etc.) pode ter fibras mais longas ou curtas e vai ser mais ou menos resistente.
Quanto é reciclado?
41% do papel que circulou no País em 2002 retornou à produção através da reciclagem. Para este cálculo, considerou-se a produção total e o consumo aparente.
A maior parte do papel destinado à reciclagem, cerca de 86%, é gerado por actividades comerciais e industriais.
Economia de recursos naturais:
Madeira: Uma tonelada de aparas pode substituir de 2 a 4 m3 de madeira, conforme o tipo de papel a ser fabricado, o que se traduz em uma nova vida útil para de 15 a 30 árvores.
Água: Na fabricação de uma tonelada de papel reciclado são necessários apenas 2.000 litros de água, ao passo que, no processo tradicional, este volume pode chegar a 100.000 litros por tonelada.
Energia: Em média, economiza-se metade da energia, podendo-se chegar a 80% de economia quando se comparam papéis reciclados simples com papéis virgens feitos com pasta de refinador.
Redução da Poluição: Teoricamente, as fábricas recicladoras podem funcionar sem impactos ambientais, pois a fase crítica de produção de celulose já foi feita anteriormente.
Criação de Empregos: Estima-se que, ao reciclar papéis, sejam criados cinco vezes mais empregos do que na produção do papel de celulose virgem e dez vezes mais empregos do que na colecta e destinação final de lixo.
Perspectivar algo artístico “Reciclando Vida”, produzido em papel artesanalmente com efeitos decorativos usando casca de cebola, flores secas, fios têxteis e purpurina.
Podemos dar vida a novos produtos reutilizados como CD-ROM encapados com papel reciclado, marcadores de livros, caixas com formatos geométricos, cartões diversos. Inúmeros tipos de materiais são confeccionados, conforme a inventividade, a arte contemporânea pode ser inserida como meio de produção artística na melhoria do ambiente escolar, através de pintura, recortes e colagens que resultaram em cartões de felicitações, porta-retratos, caixas de presente, quadros e objectos decorativos. São produzidos papéis reciclados de fibras de papéis usados, e posteriormente, utilizados para pinturas e objectos artísticos contemporâneos, mostrando como evitar o corte de árvores ao reutilizar o volume de papel reciclável numa unidade educacional, despertando a criatividade, propiciando o aperfeiçoamento do domínio motor e cultivando a sensibilidade artística e estética ao integrar o homem com o meio ambiente, reutilizando os papéis nas artes plásticas e artesanais.
Aposta contínua como reutilizar, reduzir e reciclar o quantitativo de lixo produzido numa instituição de ensino, nas nossas casas, nos serviços, nas fábricas, enfim em todo o lado onde se desperdice e inutilize papel, com consciência ecológica, estimulando a qualidade de vida populacional.
Aposta na consciencialização de todos em relação à preservação ambiental ao reciclar o papel e utiliza-lo na arte, ampliando o conhecimento cultural e valorizando o espaço escolar e familiar e outros, ao decidir e transformar o lixo em arte, obedecendo os três Rs (reduzir, reutilizar e reciclar), minimizando ecologicamente a quantidade de lixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog