quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Porto em viagem de comboio!



Mais uma viagem em curto espaço de tempo!
Que me lembre ando de comboio desde 1972 quando ingressei no colégio das Salesianas no Monte Estoril. Desde sempre foi fascinante, tantas estórias...
Sobretudo quando vou sozinha, como desta vez, o meu inter rali!
Tempos idos,coisa menos coisa por volta de 1976, ainda não haviam telemóveis, a minha irmã se atreveu a sua primeira vez por países de leste, mil aventuras, de noite acordavam-na para vender os jeans e blusão de ganga...também da falta de visto especial para entrar na Checoslováquia, ficou retida horas para averiguações, já em Roma, disse mal dos italianos que falam com gestos obscenos" ... madona qui mamas, bela regaça...atrevidos apalpam ..."
Apeteceu-me ir novamente até ao Porto, refresca-me a alma, tempera-me o espírito, consola-me o olhar, regalo-me inteira!
Inesquecível, embora a vista do Porto a partir de Gaia não fosse nítida, enfarruscada de neblinas...
Cheguei bem, tudo por lá decorreu com muito charme e classe, no Dolce Vita fui almoçar, tomei um café numa mesinha bem perto do Villas Boas, treinador do Dragão,sem peneiras nem gravata, um "puto" louro de cabelo forte, arruçado, exala personalidade, muito carisma e personalidade, vai longe!
Depois fui conhecer o parque da cidade, identifiquei as semelhanças de imediato ao parque da Paz que adoro, cópia deste, vê-se pelo porte altivo do pinheiro manso, as mesmas pedras de granito, os mesmos lagos, os relvados, os espaços, o romantismo, neste ainda coelhos, lindos a saltar à nossa frente, na entrada duas colunas em mármore rosa a imitar a dos templos romanos, simplesmente sós se abrem em convite ao passeante para entrar, descobrir e perder-se!
Tantos cliques de fotos, umas artísticas, outras normais, ainda outras para anular...
Adorei aquele cenário, senti-me livre como uma miúda, desatei a correr rebolei na relva, perdi óculos, carteira, garrafa de água...o calor apertava, o que eu queria era tirar o casaco, debalde não era apropriado, perdi-me a rir a esbracejar...
Ambiente idílico, magnífico, de braço dado encantada, desforrei-me no deleite de tanto verde, de tanta beleza, de tanto namoro (?)...
De volta fui reviver Matosinhos na frente ribeirinha, e as novas avenidas no contraste do mar onde tudo é demasiado encantador -, o porto de Leixões ali ao lado em alvoroço, de noite também é bonito, há anos que o fiz o percurso pedonal ...
Momentos de descontracção, desfrutei de sonhos reais, autênticos, únicos, de perder a respiração, como nos filmes...Coisa inédita, concreta,demoníaca, estonteante, outra vez!
Perdi o comboio por um minuto, esqueço-me da hora de ponta, da compra do bilhete, no Porto esqueço-me das horas e dos deveres, dos limites, estou bem noutra, fora de mim...
Pior, na estação já tinham fechado a bilheteira , decidi tal como tantos outros arriscar e ir sem bilhete, pus-me a correr de sandálias altas ,na curva da saída da estação para o átrio num ápice estatelei-me no chão...Só me lembro de ver um puto a dizer "então" com sotaque nortenho, e nuns segundos me levantei, felizmente não parti nada!
Tantas emoções, todas ao rubro, uma turbilhão de sensações desagradáveis depois de um dia fantástico fora de série, memorável, tinha algo de correr mal...
Que fazer? Agir sensatamente. A única alternativa era regressar no Alfa, julgo a minha primeira vez...Desolada na espera sem esperar, caí no colosso abismal da gulosice, sentada, de joelho arranhado abri a caixa de bolos, saboreei um jesuíta que me soube a deleite de mel!Lambuzada, ainda assim mui feliz!

2 comentários:

  1. Oh Isa!!!
    Pois veio ao Porto outra vez?
    Faz muito bem. Andou por sítios que por vezes, também eu calcorreio.O Dolce Vita apesar de lá passar várias vezes(sempre de carro),ainda não conheço,ou melhor nunca lá entrei, mas o Parque da Cidade é um velho conhecido meu.
    É sem dúvida um espaço único e maravilhoso na cidade do Porto.Fez muito bem em explorar a parte litoral do parque e ir até Matosinhos.Dão-se agradabilíssimos passeios pedonais por ali. Quando voltar ao Porto, tente fazer o passeio que vai do Castelo do Queijo até à Foz. Está também um percurso muito bem conseguido.O passadiço, algumas vezes de madeira ripada sobre a areia, com o mar bem pertinho, as esplanadas óptimas, para todos os gostos e bolsas. Vale a pena! Então se for no inverno, redobra o encanto do passeio e do café beberricado a olhar o mar com os cargueiros fundeados ao longe e a fazer-nos sonhar..
    beijinhos
    MariaGbela/MariaPaula

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Maria Gabela pela dica
    Há coisa de 4 anos estive 15 dias em Matosinhos num curso, fiz um post na altura, adorei, simplesmente!
    Cantam que Coimbra "tem mais encanto na hora da despedida"
    Atrevida e sendo de Coimbra, digo e escrevo
    O Porto e sobretudo Matosinhos são a menina dos meus olhos,lá fui feliz!
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog