quinta-feira, 2 de junho de 2011

Desde que o meu olhar encadeou no teu!

Simbologia, mera comparação
Aldrabas unidas, corda frágil
Tal como a fugaz paixão
Esfumaça, repentina a vil!

Arroubos de cabelos alvos

Paixão!
Incrível há primeira vista
Joginhos de sedução
Emoções ao rubro
Outra vez, mais uma vez!
Acções intelectuais num tempo, sem tempo
Provável relacionamento efémero?
Tamanho respeito, o teu e o meu
Foges, fujo!
Parca coragem, medos, timidez,enredos caminhos
Pressinto
Corações vazios, ocos de prazer
Nascer de sentimentos novos
Adormecidos.
Amigos sinceros
Sem favor tu e eu valorizamos ajudas
Contigo cresci, amadureci, aprendi e tu também
Sinto as tuas preocupações nas minhas vontades
Incutes a força para eu fazer
Faço fé
Alto valor credetício sem igual
Em prol do amanhã.
Romantismo sem igual,olhares, malícia
Mal ou bem
Dias, horas e segundos
Momentos lentos
Ausências
Digo para dentro
Quero mais e tu também.
Interrogo-me!
Negações incompatíveis com esperança
Diz-me tu?
Acomodado
Sofredor
Insatisfeito
Um dia
Fatalmente chegará o desenlace
Morte precoce, debalde saboreada
Sinto horrores, tantos missais lidos
Caducos, não falam de sentimentos
Atrofiaram o meu estar na vida
Qual respeito e recato
Saem da minha boca palavras impensadas
Estimo demais a nossa amizade
Esforço-me a cada dia mais
Debalde entorno o caldo, digo o que não sinto
Sempre a brejeirar
Queimo em brasa
Escaldo em dor.
Tamanhas amarguras, eu e tu
Suplicas baixinho há tempos por um beijo
Loucura seria se acedesse nesse instante
Saudades?
Do último...
Rés vez da tua boca carnuda
Deliciosamente bela quase coladinha à minha
Susto e tremeliques!
Flash...
Prazer em nirvana
Irrompeu num clique pelo meu corpo e acredito pelo teu.
Valeu-me a coragem,como desejaria não a ter...
Num ápice, desajeitada
Afastei o rosto, beijei a outra face
Senti arrepios e o chão a fugir...
Vontade desfraldada tive
Abraçar-te, não largar
Não pude
Não posso.
Pergunto
Até quando aguento meu Deus?
Atrás de mim de soslaio
Baixinho...
Voz melosa pronunciaste
Ter-te conhecido...
A melhor coisa que me aconteceu nesta vida!
Amo-te
Todos os dias e sei que tu também.
Não interessa a forma, os actos e porquês
Pertences ao meu pensamento, dia e noite e eu ao teu.
Fazes-me sentir bem-disposta,jovem,moderna, livre, mulher.
Sem nunca ter sentido o gosto da tua pele
Contigo tenho estado todos os dias
Desde que o meu olhar encadeou no teu!

2 comentários:

  1. Gostei imenso da sua fotografia

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Luís.
    Pertence a um solar brasonado em plena decadência na cidade de Setúbal.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog