quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Ensaio de romance na magia das velharias - V Capítulo

A minha primeira vez na feira de velharias de Setúbal. Outrora grande, com o programa Polis mudou de local, perdeu freguesia, embora novamente reposta na Av. Luís Todi, deixou de ter o esplendor do antigamente. Espaço não faltava para montar o estaminé.O Fontinha no lugar do costume com o colega, uns amigos de longa data, também as "peixeiras", "o ourives", o do Pinhal Novo, o da Trafaria e, ...abeira-se da minha banca um casal homossexual, a "menina" já trazia debaixo do braço um embrulho em jornal,apreciaram uma chávena da VA comprada na feira de Algés por 2,5€, pedi e a vendi por 5 €, "ela" ainda regateou,não me demoveu, afinal estava a estrear-me, seria mau agoiro, o que lhes disse a sorrir,digamos que deixou o companheiro visivelmente envergonhado...
Lila por viver perto já tinha a banca montada,pediu ao meu marido para "dar um olhinho" enquanto ia tomar o pequeno almoço.Confesso que desde que a conheço sinto um tal frenesim com a sua, também um bocadinho minha aventura romântica, ouvi-la faz-me até sentir adolescente, será que a ela também? Não o sei!
Confidenciava-me ter dito a Adriano que na noite passada não conseguiu dormir, tal a insónia,ele perguntou-lhe " sonhou comigo na insónia do acordado?"
Lila frisa que ele continua atrevido, ele diz-lhe "não pense, apenas se gosto não o posso esconder, nem o devo fazer, aconteceu, e eu estou a gostar muito de si"
Lila lança um repto " já nem se lembra de mim,não tinha os óculos não viu as rugas"
De imediato ele responde " vi as rugas, a cara linda, e o corpo sedutor, que precisa de muito mimo"
Lila descarada diz-lhe " deixa-me sem fôlego,e não sabe a minha vida,terei de contar
Adriano remata " então conte, não se iniba, vamo-nos ver, vai ser bom para os dois, entretanto pode-me escrever uma carta por email, diga-me o que gosta, o que não gosta, e o que a preocupa, conte-me tudo o que quiser e precisar, temos de nos encontrar, quero dar-lhe uma massagem... "
Lila diz-lhe " ainda não estou preparada para o ver muito menos para a receber,sou conservadora,irreverente mas com bom senso, e depois de tanta coisa que já passei, as dúvidas, os medos deixam-me a flutuar, não consigo dormir, uma coisa é certa,também mexeu comigo"
Adriano diz-lhe " não tenha receios, só se vive uma vez, temos, de viver a vida o melhor possível, vamos gostar de conhecer os nossos dois corpos, quero-a a sorrir, a brincar, e deleitada comigo e com a vida em eterno namoro, reconheço que precisa de tempo, valorizo, espero que me diga quando estiver preparada"
Lila encantada diz-lhe "afinal o que sempre sonhei viver, poderá ser?"
Adriano remata " sim meu amor, não poderá ser é"
Lila encantada pergunta-lhe "vai assim de galopante em todas as suas paixões?"
Adriano apressa-se a responder "não, até sou muito difícil de me encantar, a sua maneira faz-me libertar, e querê-la,você bem tratada, bem mimada, e dando-lhe toda a atenção que merece, deve ser um amor de mulher, apercebi-me da sua forma extraordinária, escreva-me, para eu lhe responder, liberte-se, fale, tem aqui um amigo, adoro-a, vou estar a pensar sempre em si, e nessa boca linda "
Lila apressa-se " não pense,deu-me uma febre rebentou o lábio está feio,aos anos que procuro um príncipe,será que o achei? Vamos com calma antes que o andor caia com a santa..."
Adriano responde " mas é saboroso, quero beijá-lo mesmo com febre,quero saber tudo de si, dos seus gostos,adoro a loucura amorosa:namorar, fazer carícias, e recebê-las,passear, beijar, estar horas a fazer amor com muita calma, suavidade, meiguice, cumplicidade e aventura, o andor não cai, está rodeada de paz."
Lila diz-lhe " quando se gosta de alguém e os dois estão em ambiente propício a prazeres, não existem tabus, tudo é descoberta, e dádiva"
Adriano responde " sim quando se gosta tudo é dádiva"
Lila confessa que tem alguns problemas do passado, sente que foi durante anos mais uma em milhões de outras mulheres "um depósito de espermatozóides",com o tempo aprendeu a tirar prazer do seu corpo sozinha.
Adriano pergunta-lhe " mas gosta mais que lhe tirem esse prazer, sabe muito melhor,
receber uma boa massagem, arrebitar-lhe os seios, lamber-lhe o umbigo, isso não consegue fazer a si própria..."
Lila diz-lhe "incrível como me consegue arrancar estas intimidades, não há nada que substitua no amor duas pessoas, no meu caso entre um homem e uma mulher. Uma grande parte da minha vida profissional passei-a a estudar aparências, o que via e ouvia nas mulheres e nos homens, nos seus comportamentos. Com poucas dúvidas, cheguei à conclusão que as mulheres de personalidade altiva, eram frias de temperamento,pragmáticas, muito decididas no dizer e fazer, nada as parecia derrubar,imitavam ser a todo o custo felizes,adoravam pavonear-se vaidosas e cheirosas, derretiam-se a arrebatar corações despedaçados, a outros, perturbavam-lhes o pensamento de tal ordem que nada conseguiam fazer de produtivo,coitadas das mulheres deles à noite tinham dos aguentar, tal desejo acutilante acumulado a explodir, algumas delas deviam agradecer, sentir um homem assim deve ser estonteante, digo eu. O segredo delas? Prazer maquiavélico,atingir orgasmos ditos inteletuais a espezinhar homens carentes...arrogantes, falavam de sexo de maneira escaldante,induziam a sonhos eróticos, transmitiam loucuras, afinal fantasias que gostariam de viver na realidade.No pior, de regresso ao lar quem diria que se transformam numas infelizes atormentadas por viver aparências, a forma de banir a solidão apesar de algumas ter companheiro, fosse na banheira, na cama, no chão de revistas porno nas mãos a babarem-se com homens bem dotados,abafar calores, desejos, emoções reprimidas,hora de desenrasque com o que tinham à mão para se satisfazer,ficarem relaxadas,calmas. Agora confessar tais fraquezas nunca,armadas em fortes,hipócritas,ainda havia uma minoria que parecia aproveitar oportunidades,no intuito de pelo conhecimento intimo poderem alcançar o tal orgasmo que sempre sonharam. Usadas ou deixavam-se usar,via-as passar de mão em mão,prazer não sei se o sentiram, só mesmo as fogosas que as havia, de assustar.A minha conduta pautou-se pela excentricidade, dar nas vistas, sem nada saborear e tal como algumas as imitei a tirar prazer do meu corpo até ao dia que disse basta!
A mulher se não for bem estimulada não chega ao ponto rebuçado, fica pelo ponto estrada,cabe ao homem ser perspicaz, inteligente, saber dosear o desejo,não entornar o caldo antes do clímax dela acontecer,seria como morrer na praia...porque loucura é acontecer em simultaneidade!
Adriano responde com satisfação " ...estou estupfacto com a sua curiosidade inteletual, não consigo arrancar as suas intimidades, você é que precisava deste arranque, porque não era assistida, agora que sente que pode vir a sentir amor e felicidade, liberta-se"
Lila em jeito de remate diz-lhe " você e a sua psicologia, é verdade, porquê mentir"
Adriano ainda escreve " quero-a ver muito feliz, e louca de prazer, é bonita, tem um corpo bem feito, tem de o deixar desfrutar,não está tão gordo assim, se eu mexer nele uns tempos fica magnífico,bem tratado põe novamente o transito a parar porque você tem um corpo interessante, assim como os lábios e os olhos, e tem uma forma expressiva muito sensual, talvez apagada por algum sofrimento, eu sou ciumento, não quero exageros ,quero-a bem vestida, bem calçada, bem perfumada"
Lila fica sem respiração, vive um sonho, belisca-se para sentir que é real e diz-lhe que nunca foi ambiciosa, apenas nunca desistiu de encontrar o amor.
Adriano argumenta "não se preocupe com o que ganhou nesta vida, com o que perdeu, com o que vai ganhar, na vida não se pode estar à espera de nada, que é para vir tudo, e acima de tudo ser ambicioso quanto baste,porque a ambição é a mola real do pular e avançar do mundo "
Lila diz-lhe "sim, só tenho ambição em ser feliz"
Adriano remata " já é muito bom, mantenha essa ambição, não descore as outras, e tudo virá a seu tempo.Que pena não ser uma mulher livre, ia imediatamente buscá-la para junto de mim, sou mesmo sincero, verdadeiro, humano, posso-me elogiar, sem estar a cometer nenhum erro, se eu não fizer bem, porque alguém não mereça, mal não faço de certeza, foi a educação que me foi transmitida,vou tomar um banho, vou ter a sensação que a tenho na banheira comigo, eu quando gosto de uma mulher adoro estar na banheira e dar-lhe banho, e que ela me dê a mim, belisco-a com certeza, beijo-lhe o corpo todo, dou-lhe dentadinhas nas suas maminhas, não é nenhum sonho, é tudo verdade, espero que tenha o mesmo fervor, a mesma sensibilidade, como há muitos anos está mal casada, pode ter perdido o interesse"
Lila diz-lhe " não perdi,a menopausa encarregou-me de me alertar, sinto-me melhor que em nova,com mais fulgor, desejo e loucura em amar e ser amada"
Adriano confessa " está- me a tirar o sono, a respiração, estou desejoso de ver e sentir esse ardente prazer, mas não foi nada que eu não visse em si. Quero que me diga como nos vamos encontrar, temos de dar felicidade a este amor que nasceu quando o nosso olhar se encadeou um no outro"
Lila remata "desculpe, deixa-lo assim descomposto"
Adriano responde " muito descomposto meu amor"
Lila diz-lhe "vamos parar"
Adriano ainda escreve "" eu quando vejo a pessoa que gosto, não olho bem para patetices que a sociedade inventou, examino a pessoa pela fisionomia cerebral, pela expressão facial, e pela forma que demonstra no seu raciocino, se estes valores estão no lugar certo, depois de despida, toda nua, é igual a qualquer mulher modelo. Tem tudo nos mesmos sítios.Não sou homem de me esconder atrás de uma câmara para falar de amor, esses são cobardes, lembre-se que me declarei a si, uma menina, na rua "
Lila fica sem palavras, confusa,enamorada só pensa aproveitar a oportunidade de tentar ser feliz, encontrar essa felicidade que nunca teve no passado, a falta de carinho condicionou-lhe toda a sua vida até àquela tarde de verão de S. Martinho...
como diria o arauto, quando vinha à janela do palácio do Imperador Adriano (o imperador decretou esta lei, assim se diga, assim seja feito.
Adriano ainda deixa um repto " estou convencido que será delicioso dormir consigo, colado ao seu corpo, vai amar e eu também"
Lila despede-se " vou adormecer consigo, reescrever na minha pele as palavras lindas que me dirigiu, estou a aprender a gostar muito de si, fique bem"...

Nem com os preços marcados a freguesia se chegava.Um colega de blusão motar azul celeste com uma grande águia nas costas, de poucas falas, quase só mímica, parece viver em transe pegou numa bomboneira em vidro casca de cebola lavrada, linda com o rebordo esbeiçado, só me deu 2€...fui dar uma volta, já nem sabia se era ela que vivia a relação ou eu,de tão emocionante se mostrava e a alegria com que me a contava e eu doida a ouvi-la!
Feira fraca, as pessoas olhavam, só compravam objetos em 2ª mão para uso doméstico e pouco mais.
Espero que seja melhor a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog