quarta-feira, 7 de março de 2012

O corropio do dinheiro...

Além da recessão, do custo de vida: comida;combustíveis;impostos, os imprevistos!
Brava fiquei, o esquentador avariou. Chamei um técnico credenciado, cobrou : despesas de deslocação=25€ mais meia hora que na verdade foram 5 mn acrescido de IVA num total de 55€ .Ainda um reparo " não vale a pena mandar arranjar, tem isto e aquilo e mais calcário, o melhor é comprar um aparelho novo, se quiser que venha montar cobro 40€..."
Bem, em quanto me ficará este imprevisto!
Ontem fui ao super fazer umas compritas para agraciar a minha filha regressada com o namorado de Roma. Coitado de quem é mãe. Levei comida feita e outra para fazer, além de fruta, salada, legumes, vinho, sumo, chocolate e,...gastei 49€.
Para ir de carro tinha de sair de casa antes das 7. Decidi ir nos transportes. Ao entrar no metro  o bilhete no aparelho não acusou "verde", passei ao 2º aparelho e nada, no 3º acusou vermelho, fiquei a "ferver", se aparecerem os fiscais, iam ouvir, que culpa não tinha nenhuma dos aparelhos andarem sem peças que as roubam, tive o cuidado de carregar o cartão ontem com duas viagens para hoje não perder tempo, 1.90€. Cheguei a Cacilhas e para descargo de consciência fui à máquina confirmar, lá estavam os dois bilhetes, desta vez ganhei uma viagem!
Comprei o bilhete para o barco, 1.85€. O carrego era tão grande que mal cheguei a Lisboa apanhei um táxi, os tendões dos braços não aguentaram com o peso dos sacos.Paguei 3,65€ , fui a "butes Alfama acima só parei na padaria para comprar pão fresco, bolinhos de chocolate e arrufadas fresquinhas, paguei 5.15€.
Cheguei a casa estoirada, sem fôlego. Pior, foi uma hora e meia de pé a passar a ferro. Gozei a vista sobre o Tejo e  as veredas das escadinhas cheias de turistas com máquinas de filmar nas mãos. O silêncio, a grande  quietude daquele lugar de manhã e, o sol, magnifico. A casa toda iluminada ,o rio cor de prata com ondinhas a imitar escamas...lindo, de vez em quando passava um barco.
Despachada da minha lide doméstica e bem calçada calcorri o bairro, encontrei russos junto à Sé,apesar de terem perdido com o Benfica, pareciam alegres, vestidos de calções e camisolas de manga curta, encalorados, nas mãos traziam garrafas, ordeiros em linha na rua...
Entrei no Metro no Rossio, perdi-me! Encontrei-me após falar com o segurança para entrar na rota certa. Fui à ASAE pedir o cartão de feirante, paguei 15€. Aliviada, já posso ir às feiras descansada.
De volta à rua a caminho da Segurança Social. Tirei a senha, fui enganar o estômago, estou a comer menos por isso só gastei 2, 30€.
Tratei do assunto que me levou lá.Sai mais alegre, apesar de nada ser como desejamos, mesmo assim, a ansiedade acalmou e a minha situação é francamente bem melhor do que o ano passado e, isso basta-me, melhor não tive de pagar nada!
Saí a pé até ao Campo Pequeno em direção ao autocarro. Paguei 3,20€ pelo bilhete.
Finalmente em casa, cansada e sem dinheiro na carteira!

4 comentários:

  1. Olá Maria Isabel
    É mesmo assim a vida hoje em dia. Mal pomos o pé fora da porta e já estamos a gastar dinheiro. Tudo se compra, tudo se paga. Há poucos anos, ainda me espantava de ter que pagar a terra, as sardinheiras, ou outras flores mais singelas :)
    Já não há vizinhas a oferecer "nabos" de dálias, ou sementes de zínias :)Por isso estimo tanto as que me são oferecidas. Lembro-me sempre de quem mas deu.
    Beijos e boa semana.
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Paula
    Muito obrigada pelo seu comentário.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Maria Isabel

    Neste momento vivo no terror que os electrodomésticos ou o carro avariem, tal é o desparrame de dinheiro que perdemos diariamente só para ir dali acolá e comprar meia duzia de alimentos

    bjos

    ResponderExcluir
  4. Olá Luís. Muito obrigado pelo seu comentário,é de facto como diz,um desparrame de dinheiro que se gasta sem saber muitas vezes em quê!

    Bjs

    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog