sexta-feira, 20 de abril de 2012

Ainda não se paga por trocar a perna...

Hoje fui até ao Fórum tratar do cabelo. Admirei níveis de eficiência, escovas, toalhas, babetes, tudinho - esterilizado e fechado a celofane . Não encareceu o serviço. Gostei. Saí mais confiante e leve, em tempos de crise, há prioridades, hoje baldei-me delas e tratei de mim, porque preciso e gosto!
Privilegiei o autocarro em prol do carro, tempo de poupança, o combustível está caríssimo,  o preço é revertido em compras no Pão de Açúcar.No caminho depois da estação do Pragal vi uma comandita de cabo-verdianos de volta de uma vereda a limpá-la dos rizomas das canas - tal o amontoado àquela hora já padecia pelo passeio... Mais à frente na rotunda outro camarada de " cu para o ar" apanhava grãos de milho no passeio alcatroado- tal gesto transportou -me para a crónica do Fernão Lopes (?) " na praça do Comércio homens esgravatam o chão à procura de grãos de trigo..." tal a fome no tempo a  igualizar os tempos de hoje!
A terra está ressequida, apesar de alguma pouca chuva, não sei se vão colher alguma coisa que valha a pena. Tentam - isso agrada-me apesar das contrariedades, seja da demasia do sol ou da falta de água, dos roubos ( apesar dos muros feitos em renda de canas secas)  e do tempo gasto a cuidar das hortas em terrenos inclinados à força de mãos.

Só oiço lamurias, desgraças, pouca gente de sacos pelas mãos no Fórum. Rostos tristes, apagados nem havia fila para o casting de apresentador para a MTV...

Fiz  compras, nisto não sei como me aguentei com uma dita mulher - vi a forma abrutalhada como deixou dois sacos: um de cenouras, outro de bróculos em cima das réstias das cebolas..."filha da mãe" sem educação nenhuma, uma estúpida, isso sim, de nariz empinado a passar por senhora...Sexta feira, manhãzinha não estive para me indispor, lancei olhar de reprovação que nem acatou...
Para compensar a espera para o regresso fui até ao café. Fiquei de estômago reconfortado, afinal de manhã apenas tinha comido uma fatia minúscula de tarte de amêndoa...
Continuei a espera sentada num dos bancos no átrio...Só gente da 3ª idade ao meu redor! Mulheres desocupadas por viuvez ou divorciadas perdidas de maduras falavam de homens " ele disse-me para ir a casa dele que me arranjava a rodinha do meu carrinho"..."ora já viu, disse-me que tem uma reforma de 500 contos, ora 500 euros..."..." agora nem paro na paragem do costume para não o ver "...Pois pois, se ele ganhasse mais estava caidinha na casa dele...delambida, interesseira, só do dinheiro pareceu mostrar-se interessada!
Numa de matar o tempo, distrai-me a tirar fotos sob o olhar espantado dos demais...Nisto passa um rapaz trintão anafado de gordo, vestido de preto, sapatos de biqueira arrebitada e crista ensebada, chega-se à rua e puxa pelo cigarro...esfumaça finalmente!

 Admirei a belíssima cúpula envidraçada...transportou-me para lá da rua!
Sentada, pensei com os meus botões ... Ainda não se paga por trocar a perna!

2 comentários:

  1. Maria Isabel!
    A última foto está muito boa! Tenho uma muito parecida.Qualquer dia mostro-a.
    Beijos

    Maria Paula

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Paula, muito obrigada pelo seu comentário. Sou aprendiz graças a si nesta arte que a par das velharias me apaixona.
    Fico à espera da sua foto

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog