sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Chuvinha molha tolos a extravasar emoções...

Acordei na necessidade imensurável de sentir prazeres! 
O sol fez-me saltar da cama, num ápice vesti-me para um dia de cara outonal. A "chuvinha molha tolos" caia por entre os raios de sol a irromper brilho nos telhados molhados, extasiada com tal beleza... 
Fiz umas compritas, o meu marido festeja aniversário no domingo. Regalava o olhar com montras de lingerie quando sinto uma voz que me chama - feliz coincidência encontrar a Maria Clara - há anos que não nos víamos -, entrámos numa pastelaria seguiu-se conversa farta, quando a conheci tinha pouco mais de 20 anos, casada com um filho, afinal mais tarde teve outro -, os dois reivindicam genes ao pai no olhar lânguido qual lago de nenúfares, mas aos 37 o marido bateu com a porta, há seis anos que vive separada, só no final do ano passado tirou a aliança que teimosamente continuou a usar, sabe-lá o porquê, julgo para afastar o assédio da clientela no seu estabelecimento... 
Mulher adepta do facebook confidenciou-me ter travado conhecimento em dezembro do ano passado com um homem de 60 anos, a que chama carinhosamente por Ge - de porte alto, de excelente aparência, moderno, com quem aos poucos se foi tornando amiga. Homem confidente, amável e muito disponível, fácil o inevitável aconteceu - apaixonaram-se. A relação tem corrido de feição, ambos respeitam o espaço um do outro, muita compreensão e ardente paixão -, elogios para ela é coisa farta na boca dele -"fabulosa em tudo, cheia de atributos de elegância, carinhosa, meiguinha, uma doçura, e na cama uma cobra..."
Perplexa estava a ouvi-la e ainda acrescentou , não estamos com pressa, há coisas que precisam de tempo, ainda diz sente que já faltou mais, ou talvez não, sendo que paira no ar uma sensação desconfortável, ultimamente algo fez abrandar o entusiasmo inicial, apesar de continuarem amigos, se mostra confusa, não sabe o que pensar da suspeita de uma relação antiga que ele reavivou, ou mantêm e disso nunca lhe confidenciou...porque na verdade "não ata nem desata"!
Ajuizando que o flirt aconteceu por ser na Internet, mais fácil, que a fazia sentir viva e livre, também a "tábua de salvação" depois do desenlace.
Aflita com a auto estima fragilizada, por isso o desabafo aberto e franco comigo!
Num fôlego diz, no princípio de outono voltaram ao despique outros vários potenciais interesses, em novembro do ano passado conheceu o Adre, na casa dos 65 anos, muito mais velho, sendo que ela festejou o mês passado 44 -, sem saber o que pode acontecer  se aceitar o novo vento? Porque acredita que ele não apreciou o e-mail escrito ao seu jeito de conselheira, em que o acusou de coisas e gostos esquisitos -, claro que este tipo de intrusão não lhe vai agradar, num ano a relação degastou-se sem que ambos tivessem inteligência suficiente para a querer salvar, talvez porque ela tivesse medo da sua grande oferta , sempre a vomitar que deseja uma mulher para estar com ele, passear, curtir a vida, não para ser dona de casa esboçando um sorriso maroto " quando a esmola é grande o cego desconfia". Confidenciou-me que o pior foi sentir que ele está habituado a pagar para ter prazer...e, disso não gostou, aconteceu o desenlace do fugaz flirt,  até à manhã de outono que de novo se reviram na Costa de Caparica, estava ele numa esplanada e a olhou demoradamente quando passava na rua vestida de óculos de sol  e fingiu que não o viu, dias depois telefona-lhe e pergunta a razão de não o ter cumprimentado, a que ela lhe responde - meu querido, estava acompanhado, não quis causar uma cena de ciúmes... 
Diz-lhe ele, minha querida, sabe que adoro a sua boca, a sua anca, que a amo ... 
Insistiu para tomarem um chá, e conversar pessoalmente. O que veio a acontecer uns dias mais tarde em Lisboa, numa das mais categorizadas pastelarias, e o inusitado aconteceu, dirigindo-lhe convite para passar uns dias em Ferreira do Zêzere com a lábia - "muito passeio até Espanha, boa comida, e bom sexo"...
-A que ela lhe respondeu com ar malandreco, pensei aceitar na oportunidade para testar se a relação tem "pernas para andar, se sim ou sopas" , mas debalde na hora , não teve dúvidas em rejeitar a oferta, por não se sentir confortável!
Há um ano travou conhecimento com um homem mais novo de 37 anos a viver no Algarve, há tempos desaparecido do meio cibernauta, mas de novo reaparecido, disse ter tido um problema de intrusão de estranhos no PC - no dizer dela - não há dia que não lhe tolde a cabeça com um assédio tenaz de luxuria para se masturbarem virtualmente -, insiste para o ir visitar...senti que os olhos dela brilharam quando o descreveu, homem alto de corpo atlético, vigoroso, mui ativo, sensual, um demoníaco tesudo, de seu nome Mig, adora andar de bicicleta e fazer desporto, na sua cabeça, fantasia com mulheres mais velhas, de boa mente e,... azar teve com a ex companheira que despachou por ser péssima dona de casa, desorganizada, e para sexo não funcionava, sendo ele mui ativo, metódico e impaciente, ficou com a guarda do pequenito com 4 aninhos de quem cuida escrupulosamente, por isso não se pode deslocar. Nisto senti que Maria Clara franze o beiço - pena ele ser muito mais novo, senão apostava nesta relação, gostava de experimentar!
Maria Clara respira fundo, diz-me, não sabes a melhor, como se tanta fartura não bastasse suspeito que uma mulher ande perdida de amores pela minha pessoa...ouvir tal notícia inusitada - tivemos de pedir dose dupla de café!
Senti uma pena da coitada da Maria Clara, não sabe o que fazer, afinal tem tantos interessados para refazer a sua vida e voltar a ser feliz , e ao mesmo tempo senti estar sozinha, apesar de aparentes interesses..., agora mais valia?
Uma coisa ela garantiu-me, só deseja tabelar relação com um homem forte e viril que goste dos prazeres da vida sem hora para acabar além de todas as normais virtudes. Mulheres é que nem pensar, jamais sentiu dúvidas sobre a sua sexualidade, tal como eu! Tal vigor no dizer destas palavras, eis que regurgitou o café sobre a mesa, em pressa acorre o criado às pressas de pano na mão perante tal aparato!






2 comentários:

Seguidores

Arquivo do blog