terça-feira, 14 de maio de 2013

O sítio da Fábrica Constância às Janelas Verdes

Nas imediações do Museu de Arte Antiga, na  sua lateral, no sentido oposto existe um fontanário de pedra antigo, subi ao cimo para reparar numa placa azulejar num edifício que dá o mote em descer a rua. Atrevimento em conhecer o que resta da Fábrica Constância às Janelas Verde.
Fundada em 1836 laborou até 2001 inicialmente  conhecida por "Fábrica dos Marianos" por se ter  instalado no antigo Convento dos Marianos, também pelo nome de "Fábrica das Janelas Verdes".
  • No entanto, a sua denominação oficial era "Companhia Fabril de Louça" nome que seria definitivamente alterado para Fábrica Constância, em 1842 sita na Rua de S. Domingos à Lapa nas Janelas Verdes.
  • Nesta fábrica foram produzidos alguns dos azulejos que decoram o Palácio da Pena, em Sintra, e muitos dos azulejos relevados Arte Nova que decoram algumas fachadas de edifícios lisboetas (ex: fachada e interior de um prédio na Rua das Janelas Verdes).
Em 1921, o artista italiano Leopoldo Battistini tomou de trespasse a fábrica onde trabalhou até à sua morte, em 1942  (pintou painéis de azulejos de gosto historicista e produziu faianças geralmente inspiradas em modelos dos sécs. XVIII e XIX).
  • Durante esse período, a fábrica recebeu diversas medalhas de ouro e o Grand Prix, nas exposições internacionais de Paris, Rio de Janeiro, Sevilha, entre outras.
Em 1963, a fábrica foi reorganizada por D. Francisco de Almeida.
Nela colaboraram diversos artistas, destacando-se o ceramista boémio Wenceslau Cifka (séc. XIX) e João Abel Manta, que a escolheu para a execução do paredão monumental da Av. Calouste Gulbenkian, em Lisboa.
  • Aqui também foram executados os azulejos que revestem o Oceanário de Lisboa, de autoria de Ivan Chermayef.
  • Maria de Portugal pintou faiança com trechos escritos e azulejos
  • Muitos OUTROS artistas plásticos realizaram trabalhos de pintura nesta fábrica, tais como: Paulo Matos; Lima de Freitas; José A. Jorge Pinto; R. Calado; Luís Pinto Coelho; Francisco Relógio e Chartres de Almeida.
  • Além da execução dos seus próprios modelos, a fábrica dedicou-se à reprodução de composições antigas e a encomendas, tanto nacionais como estrangeiras.
 Ao fundo do beco a fachada da Fábrica Constância
A riqueza do pormenor na pintura dos azulejos
Do lado esquerdo na colina ainda um forno com chaminé altaneira coberto de extraordinária vegetação que afastei , com isso fiquei cheia de pó e com comichões...em muito bom estado o lastro em tijoleira, pena o lixo que lá depositaram.

Senti pena ao constatar tal abandono!
Não passam despercebidos na rua do Museu de Arte Antiga dois prédios revestidos na fachada com belos azulejos desta fábrica que no imediato me catapultaram para a fábrica Bordalo Pinheiro nas Caldas pela exuberante ornamentação de azulejos polícromos e relevados com motivos geométricos e vegetalistas Arte Nova, da autoria de Viriato Silva.Também o interior-caixa de escada e fogos-apresenta portentosa decoração azulejar,quer Arte Nova,quer de inspiração hispano-mourisca,e mesmo naturalista.Os prédios foram mandados construir por Miguel José Sequeira,um dos proprietários da Fábrica Cerâmica Constância,onde foram executados os azulejos.

Não sei se estes azulejos da frontaria destes prédios na rua da Fábrica também aqui teriam sido feitos
Tenho especial interesse em transcrever parte do gentil comentário de PAULO MATOS que foi pintor na fábrica :  " Mas também por ter sido pintor naquela fábrica, onde pintei inúmeros painéis e grandes obras, como foi o caso dos painéis para a Estação do Rossio de Lima de Freitas, com quem tive o privilégio de o acompanhar na execução e pintura durante aproximadamente dois anos. É portanto com muito orgulho que as memórias da cerâmica, do mestre Lima de Freitas, e o Rossio me ficaram intimamente ligadas."
 E dos links enviados gentilmente que só enriquecem a crónica.
http://pintazul.wordpress.com/2014/02/04/cerâmica-constancia-1836-2001/
Vídeos sobre a Cerâmica Constância no tempo de Battistini, com o próprio em ação no final do 1º video.
  • Nos restantes dois vídeos a fábrica em laboração com métodos e processos diferentes finais do séc. XX, com a conclusão da Expo98.
 http://pintazul.wordpress.com/2013/09/29/catalogo-pintura-manual-de-azulejos-pdf/

http://pintazul.wordpress.com/2014/01/20/os-desenhos-de-battsistini/
  • O meu bem haja PAULO MATOS pela cortesia e partilha , de alto valor credetício que muito me honra e todos os apaixonados pela temática.
  • Também me abordou a D. Isabel apaixonada pela loiça  e azulejos com assinatura pela tia avó Maria de Portugal.


Apenas tenho um prato assinado Janelas Verdes, e uma caixinha de jóias mais recente anos 40? com a Cruz de Cristo quando pela exposição mundial ocorrida em Lisboa se voltou aos temas do nacionalismo vivido no passado...

  • Nau de Santa Maria de Leopoldo Battistini, séc. XIX, da extinta fábrica Cerâmica Constância
  •  http://pintazul.wordpress.com/
Outra marca em cruz

13 comentários:

  1. Boa tarde,
    Deparei-me, ao pesquisar "Cerâmica Constância" no Google, com este seu post e não resisti em partilhar a minha satisfação, por haver quem ainda dá valor ao nosso património à arte e tradições tão impregnadamente nossas. Mas também por ter sido pintor naquela fábrica, onde pintei inúmeros painéis e grandes obras, como foi o caso dos painéis para a estação do Rossio de Lima de freitas, com quem tive o privilégio de o acompanhar na execução e pintura durante aproximadamente dois anos. É portanto com muito orgulho que as memórias da cerâmica, do mestre Lima de Freitas, e o Rossio me ficaram intimamente ligadas.
    Bem aja pela sua atenção e postagem no blog.
    Paulo Matos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Paulo Matos muito obrigado pela cortesia da visita e pelo elogio ao post. Pois tenho muito gosto em acrescentar a sua informação que só o vai enriquecer ainda mais. Muito obrigado pela partilha gratuita que só enriquece mais todos os que gostamos do que é nosso, feito por gente com sabedoria e arte genuína, que teimamos a custo fique nos anais da história.
      Eu é que agradeço o carinho em me descrever as suas vivências.
      Melhores cumprimentos
      Isa

      Excluir
    2. Muito gostaria de lhe dar uma palavra telefónicamente, conheceu Maria de Portugal, chegou a conviver com ela, tem faianças ou fotos delas, o meu nome é Isabel Leitão, isabelf@psd.parlamento.pt. é-me extremamente útil e gratificante que me contacte p.f

      Excluir
  2. Se me permite novamente a intromissão.
    A propósito, sobre aCerâmica Constancia, deixo-lhe este link: http://pintazul.wordpress.com/2014/02/04/ceramica-constancia-1836-2001/
    videos sobre a cerâmica Constância no tempo de Battistini, com o próprio em acção no final do 1º video. Nos restantes 2 videos a fábrica em laboração com métodos e processos diferentes finais do séc. XX, com a conclusão da Expo98.
    Mais uma vez cumprimentos,
    Paulo Matos

    ResponderExcluir
  3. Caro Paulo Matos muito obrigada pela cortesia e pela informação prestada que muito agradeço. Estou a pensar fazer um post no outro blog - de velharias -, da fábrica Constancia, aproveitando informação dada nesta crónica e ainda duas peças recentemente adquiridas por um amigo a quem vou pedir as fotos, e ai sim, acrescento o que agora me informa e muito agradeço. Bem haja pelo carinho.Melhores cumprimentos
    Isabel

    ResponderExcluir
  4. Como chegar aos arquivos para se saber quem o pintou um painel na Paraíba Palácio no Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro João Catarino, obrigado pela cortesia da visita. Quanto à sua pergunta não lhe sei responder. Supostamente nas instalações em Lisboa ainda devem haver documentação das transações,está fechada, no mesmo nos arquivos do Palácio deve haver documento da encomenda e do envio (?).Outra achega é saber a provável data da encomenda para a situar com os pintores da fábrica,mas sem certezas.

      Excluir
    2. Exma sra
      Muito agradeço o seu cuidado
      Vou informar o Sr professor Estácio Fernandes, tecnico de restauro de azulejo, de Salvador da Bahia. acompanhando o restauro do painel na ParaíbA

      Excluir
  5. Ouvi dizer que esta antiga fábrica iria ser demolida para dar lugar a um novo empreendimento imobiliário. Onde se situa exactamente esta fábrica? Terá algo a haver com o recém reabilitado Palácio Condes de Murça?

    Agradecido,

    Marco A.

    ResponderExcluir
  6. Caro Marco A. muito obrigado pela cortesia da visita. A fábrica encontra-se na zona do Palácio dos Condes de Murça, na parte de cima. O acesso é junto do Museu de Arte Antiga, na sua lateral junto de uma porta, no lado oposto há um antigo fontanário, que contorna até ao cimo descendo a rua que lhe fica à direita, ao fundo entra no sítio da Fábrica Constância, na esquerda tem a chaminé.Por ter ouvido falar dum suposto hotel a ser edificado no local é que fiz a crónica para não se perder algum historial.

    ResponderExcluir
  7. Senhor Paulo Matos, já vai longo tempo que lhe pedi o grande favor de me contactar, sou sobrinha neta de Maria de Portugal, casada com Joaquim Leitão. peço o grande favor de contactar telefonicamente pois existem muitas coisas sobre as quais estou curiosa. 96 277 50 80 grata pela atenção

    ResponderExcluir
  8. Boa noite
    Ao andar a pesquisar acerca da fábrica constância onde o meu bisavô José António Jorge Pinto,enriqueceu e me lembrou o engrandecimento que ele deu na arte nova.Os meus parabéns pelo seu blog e obrigado
    Celestino Pinto Costa

    ResponderExcluir
  9. Caro Celestino Costa bem haja pela cortesia da visita e pelo comentário sincero ao falar do enriquecimento do seu bisavô José António Jorge Pinto no engrandecimento da azulejaria Arte Nova.
    Cumprimentos
    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog