terça-feira, 25 de junho de 2013

O meu S.João em Almada ao entardecer

Ontem um dia de extraordinário calor sai com o meu marido pelo entardecer para comemorarmos o padroeiro  da cidade -, S.João em Almada na companhia do meu marido.


Degustámos ameijoas à Bulhão Pato, pãozinho torrado com manteiga e umas boas imperiais.
Fiquei numa mesa com um ângulo onde podia ver 3 televisões que davam futebol...
Levantei-me quando ouvi soar a procissão  na Capitão Leitão, vinda da Capela da Ramalha . Uma estopada. 
Ainda sou do tempo da Capelinha da Ramalha estar degradada, da acessibilidade deficitária com caminhos em terra batida de argila  ladeados de muita cana , aqui e ali homens bêbados-, com elas faziam toada à falta de filarmónica, alegravam a festa de cariz religioso no final da procissão até caírem de cansados numa taberna, nas muitas que havia ao tempo!
Teimei na foto só para mostrar as duas "velhas gaiteiras" de boinas brancas e botas com um calor a rondar 38 gruas... nota-se muita mulher com farta idade que quer parecer nova -,  vêem-se aberrações como esta que até mete medo ao diabo!
Ainda persiste com orgulho a  tradição de colchas de rendas nas janelas
Varandas em ferro forjado séc VXII
Na janela vaidoso com a ostentação da sua colcha branca em renda o homem que conheço condutor da Rodoviária
Janelas da igreja de Santiago no Castelo. O pormenor dos bicos  das ombreiras como se fossem rendas
A filarmónica abrilhantou a procissão desde a Ramalha ao Castelo
Na frontaria da igreja as pessoas dispersaram pelo jardim do Castelo com o seu belo coreto
Aqui há 31 anos tirei uma foto com a minha Dina ao colo-, ontem vaidosa com as sandálias e mala que foram dela, e 2 cravos do andor que ganhei. A árvore entretanto morreu, outra igual já leva este porte característico com as raízes à superfície
O jardim do Castelo com belos recantos para fotografar
Miradouro do Castelo sobre o Tejo e Lisboa
O Ponto Final - restaurante na beira do Tejo...
Elevador e a escadaria de acesso do rio ao miradouro da Boca do Vento
A torre da Câmara Municipal faz lembrar ao entardecer o Alentejo...
O caos da EDP que ganha milhões e não se compadece com os parceiros em fazer serviço bem feito. Um horror que ninguém vê e deviam atuar com leis e coimas!
Uma vergonha o azulejo alusivo ao nome da cidade estar quase encoberto - , há tanta falta de sensibilidade!
Vislumbrem a quina do antigo Salão das Carochas revitalizado
Igreja de S. Sebastião, aqui funcionou uma taberna...a Câmara teve a honra em lhe devolver a dignidade
Pancão , neste local houve uma taberna e um pátio para trás onde se cantava o Fado
O meu passeio a Almada velha onde integrei a procissão. Depois na volta visitei o miradouro do Castelo a caminho de casa  comemos uma fartura.


Não sei como aconteceu filmei a etapa final... a pensar que antes de deitar caia bem o  caldo verde que fiz de manhã com couve galega de Ansião!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog