sábado, 11 de janeiro de 2014

Acordei com nevoeiro e sol na Costa de Caparica...

Acordei com nevoeiro, saltei da cama depois das 9...tomei o meu café  que me despertou.
O meu marido convidou-me para ir até à Costa de Caparica ver o mar, e os estragos com o temporal.
Quando quis começar a tirar fotos a máquina ditava mensagem que não percebi... não fui de modas em interpelar um passeante, de bela máquina pendurada ao pescoço, que me ajudou dizendo que estava  no registo panorâmico...
O mar estava com boas ondas para a pratica do surf
Muita madeira espalhada do que resta dos passadiços-, boa para lareiras...
O maluco da bola adora exibição...chuva ou faça sol.
No Barbas já cheirava a caldeirada e cataplanas.
Peixe caríssimo no mercado da Costa. O sargo estava 16€ , no mercado de Almada a 9...
Viemos de volta almoçar a casa.Cozi batatinhas com a pele, assei  petingas, e um pimento vermelho que acompanhamos com boa salada onde o pepino não faltou tudo bem regado a bom vinho de Pias e pão alentejano. Sobremesa uma boa manga madura, e laranja...soube-nos que nem ginjas!
A lona branca com o nome da praia fez - me lembrar Matosinhos...que saudades!
Divertidos os surfistas...sozinhos ou acompanhados...

Chão de madeira  muito estragado e perigoso
Gente anónima a ver o mar...predominantemente vestida de vermelho...até eu, não é costume.
Espero que amanhã o Benfica  não ganhe... sim o PORTO!
Ora me desculpem a frontalidade.


O meu marido reflectido na lente dos meus óculos...
Areias que o temporal deixou...
 
No programa Polis, arquitetos e doutores, não equacionaram a potência do mar...deviam ter dado ouvido aos antigos que ainda se lembram do mar há 50 anos chegar à igreja...
Para pensar!

Nunca deviam ter construído na frente do mar, com tanto terreno no tardoz- nas hortas que junto o sopé do morro  dos Capuchos,  nasceu um Bairro de lataria...como aqueles que se viam nos limites de Lisboa antes e após o 25 de abril...
Um Caos!
Os passadiços de madeira escafuderam-se deixaram ao léu as estruturas de metal que despidas se mostram dependuradas ... com madeiras entaladas nas pedras dos molhos.
Tabuados largos num mar chão, de tábuas em desnorte total .
Calçadas esventradas ...
Agora foi o Hércules que dizimou a Costa de Caparica -, um dia destes é o Katano!
Gastam milhões para continuar tudo uma grande  porcaria. Nada é feito com peso e medida.
A Costa de Caparica nunca será mais do que é...porque nunca ninguém se atreveu a fazer o que era preciso fazer-, obra bem feita, pensada, de futuro, para as gentes deste agora, e vindouras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog