sábado, 8 de fevereiro de 2014

João Patrício Gomes nascido em Lisboinha, herói de sete ofícios!

A cronica outros méritos de mayor honra não terá, mais do que fazer jus ao sentido figurado da imagem de Deus, já que o João Patrício me confessou ter conhecido o Diabo -, curioso, eu também, óbvio em situações diferentes... Diz-se que todas as situações que vivemos têm uma razão -, o acaso…Que não existe, apenas existe a palavra que descreve aquilo que se ignora..."O acaso é, talvez, o pseudónimo de Deus -, quando não quer assinar"...Imbuída de vontade sôfrega neste falar, por palavras escritas, no alto júbilo -, incutir e o sorver de cada palavra mais sensível desprovida de pudor ao falar de afetos -, no repto final seja o sentir prazer ao sabor da poesia!
Debalde não sou poetisa...Fatal o nosso conhecimento travado no Externato António Soares Barbosa em Ansião frequentado no tempo fascista, sendo ele mais velho-, em que os recreios de rapazes, e raparigas, eram separados.Do Patrício lembro ricas memórias do vaidosar -, rapaz de cariz expressivo, olhar claro, voz forte, boca carnuda, coroada a dentes alvos, no seu melhor sempre bem disposto -, também no poetar , prefaciando as suas palavras "Lembro-me com uma nitidez que me cega -, eu nas escadas do Colégio Soares Barbosa...as subia, e descia, vezes sem conta..." remato eu-, o prenuncio do palco a haver!
Louco regalo os piropos e troca de olhares com as colegas, que no 1º andar tinham o patim do recreio, as salas de estar com cacifos, mas também havia o laboratório e salas de aulas. Irrequieto no despertar da puberdade sempre de sorriso tímido, mas laivo matreiro... desse tempo -, em 69 eu tinha um namorico às escondidas com o Arménio, menino recém chegado do Alentejo para estudar no Colégio, conheci no Correio velho na compra de um selo, banhado a lágrimas a escorrer em pressas... E a minha mãe a perguntar a razão de tal sofrer... Armado de voz trémula, acabrunhado de modos, mas educado diz-lhe " tenho saudades da minha mãe..." Aquele olhar encadeou no meu, rapaz de belezura imensurável, a derreter em águas sem pudor -, coitada de mim, apesar de muito querer, nada pude consolar... Colega da turma do Patrício, frequentava eu, o 2º ano. O namoro passou por mensagens na carteira de madeira, depois de lidas, cada um raspava com o canivete, e respondia. Tenaz enlace, os colegas perceberam -, com isso, antes de nós, já entravam na sala em correria para as ler...Rápido no mudar o método mensageiro -, a escolha recaiu na Sidalina, como intermediaria na passagem das missivas dentro de um livro -, sei que foi correio de outros colegas -, um dia descobri um excerto de um poema erótico -, pela letra reconheci ser do Patrício, também outro poeta não conheci (?) agora a amada, nunca soube quem se tratava ...os anos passaram ...como passaram mais de 40 anos!
Nem há 15 dias ao fazer uma cronica de memórias de antanho, tive necessidade de ir à escrivaninha buscar um livro...mal o abri redescobri folha seca, nela escrita mensagem do Arménio, noutra página havia um pequeno papel com um poema...Julgo, só foi possível se guardar no tempo por conter versos à altura indecifrável...O mesmo de conversas guardadas na memória, para mais tarde entender!
Culpas da educação fechada ao tempo que nos era imposta, do modo como se vivia, substanciais perdas de tempo a ler missais caducos, que em mim em nada me prepararam para a vida...acredito a mais mulheres!
Nesse ano o padre Ramos meu Professor de Português, ao confessar-me, surpreende-me negativamente com perguntas do foro proibido...O que sabia eu aos 13 anos?...Aflita, só me lembro de dizer não...não...Indecoroso, mote para abominar de vez a confissão!
Antes belo, glorioso, e sublime o poema, na abordagem viva dos afetos. Ao tempo má sorte de muita mulher, obrigada a reprimir a custo e a frio, na defesa da honra !

"E vou fazer-te um poema.Vais gostar!
Cá te espero na resposta."

"Penso em ti ardente desejo
Sem foto para teu corpo contemplar ...
Imagino desnudado, belo a chamar
Sem tempos, tiro-te a roupa peça por peça
E perante o assombro do que se ergue
O meu olhar pára deliciado
Ali de frente segurando-te
Encaixo o meu eixo vertical na tua entre abertura rósea
Tu debateste na multiplicidade de pernas em movimento
Mas o meu traço vertical impõe-se forte!
E tu ave furtiva, ficas segura, e dás-te toda...
Como se fosse a primeira vez...
Que te entregas com tal dedicação, a tão violenta espera.
Só de pensar em ti minha princesa, fico doido!
Não posso mais...Vou-me embora para a aula, antes que me venha!"

O meu tio Alberto Lucas de Pousaflores, homem nascido em 1917, era ao tempo o condutor da carrinha do Externato de Ansião que o transportou durante 4 anos. Sendo o meu tio materno, um homem de caráter excecional, e um poeta, fazia do percurso diário do seu trabalho de motorista-, o palco ideal para discursar apaixonadamente as suas histórias de Angola , outras vezes meditava em silêncios, como se fosse para outras paragens, no melhor a declamar poemas.Prefaciando o João Patrício " Declamava Poesia como nunca ouvi , estou a ouvi-lo no poema de Almeida Garrett "

Pescador da barca bela,
Onde vais pescar com ela.
Que é tão bela,
Oh pescador? Não vês que a última estrela
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,
Oh pescador! Deita o lanço com cautela,
Que a sereia canta bela...
Mas cautela,
Oh pescador! Não se enrede a rede nela,
Que perdido é remo e vela,
Só de vê-la,
Oh pescador. Pescador da barca bela,
Inda é tempo, foge dela,
Foge dela
Oh pescador!

Quero acreditar, que a primeira pessoa que lhe abriu o espírito e a mente para se aventurar na faceta de contador de histórias, poeta, declamador e ator -, foi o meu tio Alberto Lucas! Diz-me tu meu amigo, se estou enganada? O fascínio pelo deslumbre do belo em apoteose -, o foi no meu tio, em ti é coisa certa !
Prefaciando as suas palavras sobre o seu trajeto de vida " Não há nada para explicar!!!!Ou tanto para dizer!!!"
Homem por demais atarefado julgo sem tempo para ele -, e disso faz mal, porque a idade passa, sem gozar o que merece -, e como merece!
O deslumbre das coisas terrenas deve ser vivido intensamente, e não apenas o desfrute do foro intelectual!
Toca sete ofícios: Bom Amigo; Professor ; Ator ; Poeta ; Declamador ; Contador de Histórias -, fez parte do Grupo "O contador de histórias"pioneiro em Portugal na divulgação da Poesia que percorreu o País com mais 3 colegas e, ...A fazer fé na poesia escrita aos 18 anos -, acaso será amante folgoroso?!
Aconteceu a nove de maio de 2013 o reencontro efetivo no Facebook -, embora anos antes ele me tenha adicionado a este Blog...No querer acreditar se encantou com uma cronica da nossa terra...o João Patrício nasceu a 3 de abril de 55, sob o signo carneiro.Os astrónomos do Minnesota Planetarium Society no querer redefinir o calendário do Zodíaco-, na prática revela que a maioria de nós, pertence ao signo anterior ao que julgava... Porque os antigos astrónomos da Babilônia basearam os signos na constelação na qual o Sol se encontrava no dia do nascimento. Só que, ao longo dos milénios, a força gravitacional da Lua terá feito a Terra oscilar no seu eixo, criando um salto de um mês no alinhamento das estrelas.O artigo menciona também um 13º signo, que fica entre Escorpião e Sagitário, que vários astrónomos têm desvalorizado, dizendo que se refere a uma 13ª constelação (Ophiuchus), que teria sido posta de parte pelos babilónios, por quererem apenas 12 signos...sob esta análise será signo Peixes ? De 11 Março a 18 Abril. Jus astrológico, que ambos partilhamos...Terá mais a ver com Peixes, o que dita esta explicação, do que Carneiro (?), o seu signo -, no melhor, tem o melhor, dos dois signos!
Quão grande a minha vontade em escrever -,desplotada com a mística cadeia de emoções, sentidas em remate e brilharete, nas façanhas de ator, para um programa do Canal História.Nada mais a propósito a dedicação de um post -, agora se estou à altura do desafio, o público dirá!
Lugar escolhido pelos pais para morada-, Lisboinha, aldeia no sopé da serra da Ovelha, hoje Anjo da Guarda, pela construção de uma capela oferta de um benemérito precisamente desta aldeia Alberto Mendes Rosa.


A casa onde nasceu na rua principal com o nome de Ana M Rosa que a caminho de Lisboinha de Além se despede com esta garbosa cameleira vermelha sangue raiada a branco leite...
A aldeia em tempos de antanho se chamou "Lisboa a pequena"onde não falta o rossio junto da capela de orago a S. José, que o povo no tempo havia de fidelizar Lisboinha, pertence à freguesia de Pousaflores, concelho de Ansião no distrito de Leiria.

Na 1ª foto com 10 anos, na 2ª com 14, e a 3ª atual -, a sua fisionomia revela ascendências dos invasores franceses quando desertaram do Buçaco, ao passarem pela aldeia obrigaram as pessoas a ir às arcas buscar o milho para os cavalos, o que ele ouvia em miúdo a uma avó...O meu avô paterno também aqui nasceu -, loiro, de olhos verdes e pele alva.Há estudiosos que não concordam com esta descendência, alegando que os franceses tinham olhos castanhos -, os nórdicos é que tem olhos claros, azuis...Sem ser estudiosa, e tendo sido este episódio ocorrido há mais de 200 anos, julgo que os exércitos teriam nas suas hostes homens de muitas terras da Europa que acolhiam, na ida e vinda das guerras, só assim se compreende os olhos verdes que virão da Rússia, resquícios do exército de Pedro o Grande ainda hoje visíveis no Afeganistão, também por aqui na nossa terra foram deixados genes, apesar do cruzamento de casamentos. As evidências são ainda grandes.A minha mãe herdou do pai, olhos verdes e cabelos loiros, mas as filhas, eu e a minha irmã já não...outro fenómeno que encontro, além da beleza, é o talento para o negócio, e para as artes, porque para o amor, não lhes o vejo conseguido(?) -, assaz o sonho, será maior daquilo que encontram pelo caminho...as nossas conversas no Facebook, desde o reencontro -,tem incidido nas suas incursões no cinema, televisão, teatro, e claro, na arte e gosto de ser Professor-, apaixonado pela profissão que abraçou no gosto pela transmissão da mensagem, e pelo incutir aos seus alunos, que adora, e envolve, na panóplia de ensinamentos, para os ajudar a crescer, e no saber interpretar com sapiência a vida, a história, e as suas tradições.
Vive em Tomar onde lecciona na Escola Gualdim Pais, e faz parte da Oficina do Teatro e Músicos do Canto Firme da cidade.
Tomar terra Templária com o Nabão a beijar-lhe os pés -,que antes beijou Ansião !
Em miúda na véspera do Dia de Ramos com a minha irmã, e a comandita de cachopos do Bairro de Santo António em caminhada com ares de festa para apanhar alecrim e louro, para os ramos, no Escampado de Santa Marta em Ansião.
Evolução da Cruz.

Depois de entrar no caminho estreito a seguir à capela -, antes da primeira casa baixa cuja ruína ainda visível descobri uma Cruz esculpida, igual à última da foto -, feita numa laje grande no chão. Mais à frente também em ruína, outra casa alta com janelas de avental , escadaria e alpendre suportado por colunatas de pedra, onde nos perdíamos na apanha brava do alecrim, ao redor da eira -,sem medo de viajantes, sem poiso, nem melhor abrigo, que por aqui se acoitavam .O "Pelaralho" um deles, nascido em Lisboinha, primo da minha mãe ia ao Correio velho, a chamava " ó pima de mão estendia, esperava por uma moeda ...". Pobre diabo, ganhava uns trocos a pôr "gatos nos alguidares de barro" no arranjo de varetas dos chapéus, afiar facas e tesouras.
Rouca instrumento giratório para pôr os "gatos"

Mais tarde, quase 40 anos, redescobri a Cruz, a custo já com terra e ervas...quando voltei para a fotografar a Junta de Freguesia de Pousaflores em colaboração com Ansião tinham roteado o caminho de ligação Albarrol ao Escampado...se alguém tiver empenho em tirar a laje, e expô-la, para memória dos vindouros que aqui foi passagem templária-, ainda o poderão fazer, para isso eu sei a localização.
Em Tomar nasceu o 1º estabelecimento de ensino particular, no regime de internato, masculino, de prestígio no País no tempo da ditadura -, O Colégio D. Nuno Álvares Pereira, cujo diretor Dr. Raul Lopes natural do Alvorge, do concelho de Ansião, aqui estudou o meu pai com o Dr. António Arnaut famoso socialista, pai do Serviço Nacional de Saúde, natural da Cumeeira no limítrofe entre Ansião e Penela, também o Dr. Hermano Saraiva nascido em Leiria e,...de estar inquieto, e apressado, diz-me... "Estás já a imaginar...nós os dois a conversar tem que ser dois dias.. Sinto que poderias ter sido Escritora "...podia ter sido muitas coisas...A escrita é apenas a arma fácil que me liberta, dá gozo bastante, excita o ego!

Pela estima que sempre nutri por ele, e pela grande amizade, partilho com prazer alguns momentos deste pequeno -, grande homem , que muito orgulha de quem dele gosta -, e eu gosto!

"Não conheci essa mulher sensual que és tu, por desgraça minha!"
- És um querido com o jogo das palavras.
Gosto de homens francos, que não tem medo de falar com o coração!
És lindo por dentro, autentico e gentio no trato -, por fora irradias encanto pelo perfil natural, alegre, e sempre cavalheiro.
"As Coisas que tu sabes! Sou escolhido para certos papéis pelo que disseste agora. No caso do Comendador foi assim."
-Sou muito observadora, reconheço o teu valor, és um homem de cariz magnânimo...olha eu a delirar, declamado por ti ia soar a poesia...
"Vais gostar de saber histórias...Tenho uma irmã mais nova 22 anos, que não conheces. A outra que andou contigo no Colégio Religioso -, a Fernanda, aliciou-a com a vida no noviciado, e ela foi...só que fugiu com um brasileiro...
E sabes que mais...Veio para minha casa com ele. Fui excomungado!"
-Imagino, e tu no meio da cena...coitados dos teus pais...tamanho sofrer.
"Uma cena de filme..."
-Mas ainda bem que ela foi forte, lutou pelo amor carnal, ao contrário da Fernanda, bem me lembro no início tinha dúvidas na vocação...
"Eu a telefonar para casa e dizer: Mãe você guarda um segredo?
A Cristina está grávida...Nisto larga o telemóvel e começa a gritar...
O povo junta-se todo...quem é que morreu?
Depois o menino nasceu e eu disse: Mãe, o seu neto é moreninho, de parecenças, puxou ao pai brasileiro, que é meio mulato...Ela zangada não o quis ver..."
Em dezembro enderecei -lhe uma mensagem a desejar Um Bom Ano Novo
-O meu desejo para ti, por seres um amigo querido, verdadeiro, sincero, e homem de afetos. Por isso me encantas, e prezo sentir, como se fosse tua irmã de coração.
"Bem...despedir-me do Ano desta maneira...Sabes que nunca ninguém me descreveu assim?"
-Só pago com a mesma moeda...
"Que histórias tenho dos espetáculos hilariantes!"
Ora está na hora de narrar algumas estórias com muita história:
Concerto de Ano Novo - Soirée de Natal com a presença do Dr º José Miguel Medeiros

( ex-Governador Civil do Distrito de Leiria) e de sua esposa.
Garrinchas http://youtu.be/H_TbF7eEWx8
Lisboa Story Center - Terramoto de 1755 Gravado no Castelo no Páteo de Fradique/Igreja da Graça
Fui um Comendador Rico Brasileiro.Casei com menina de 20 anos.No sarau um jovem boémio fugiu com minha mulher só com um POEMA! Roubou-me a mulher, triste è a minha SINA! Mesmo na vida REAL...
Grande Patrício
Pois sou o tal Frei Expedito numa aula de história. 
Iniciativa brilhante, didática, moderna, de futuro para as novas gerações terem gosto nas tradições e na história das raízes do nosso povo.O mais importante ao seres escolhido é o porque revelas cariz, és um apaixonado, imagino a forma como transmites a mensagem, com satisfação.
-Foi a diretora do Igespar do Convento que me distingui na escolha para o papel.
Não podia ter feito melhor escolha. Parabéns.
Frei Expedito

Reportagem de Mário Lopes de "Tinta Fresca"

Aos pés do Passos Coelho e do Relvas...SÓ UM GRANDE ATOR!
Com o Prof Dr Rebelo de Sousa

Contador de histórias http://youtu.be/wTkK27krrXQ

Encantador de crianças
Comemorações do nascimento de Sophia de Mello Breyner

Ceia de Letras "Degustação da Palavra"
Sábado, dia 26 de Outubro de 2013 cheio de letras...Uma ceia (jantar sem tempo de finalização...), um encontro da palavra (prosa e poesia), a voz dos autores, a música, num encontro inolvidável .

O passeio junto à porta do Restaurante Marques,em Cabaços (Alvaiázere)

Lágrimas Ocultas de Florbela Espanca
Se me ponho a cismar em outras eras
Em que rí e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi outras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!
No Convento de Cristo em Tomar

14 de agosto de 2011 nas Festas do concelho de Ansião http://www.ansiao.tv
Lançamento do Livro "Romãs com salpicos coloridos de Ansião"de Filipe Antunes dos Santos
Com António Costa presidente da Câmara de Lisboa

Filme Volpone com Gérard Depardieu e Daniel Prévost
No convento de Cristo com a atriz Paz Vega...Que poderia eu fazer?Fechei os olhos!

Com Cristina Ferreira

Templar Knights Tomar Ao entardecer no Convento de Cristo

Lenda sopa da pedra
A sopa da pedra, constava da ementa do dia 16 de outubro na nossa escola.
Oportunidade para a dramatização da referida lenda, pelos alunos do clube “contadores de histórias” da turma do 6ºD e 5º E

Comemorações do Dia Mundial da Alimentação
"O caldo de pedra" Dramatização na Biblioteca da Escola Gualdim Pais
 As malgas julgo são dele que trouxe da casa da mãe...


Reunião (Templária) ao por do sol em Santa Maria do Olival, Tomar
Silêncio ventania ...Quero-lhe o "segredo"

Um dia na TV com o Manuel Luís Goucha
Com o João Manzarra

O vencedor do concurso Voz de Portugal

RTP1 Denis e finalistas
FILME: Eclipse em Portugalde Alexandre Cebrian Valente gravações em Santarém.

Fui escolhido pela Fernanda Serrano e Ricardo Carriço.

Floresta de Enganos de Helder Costa
Canto Firme Assoc. Cultura de Tomar

Comendador Rico Brasileiro...Casei com menina de 20 anos. No sarau um jovem boémio fugiu com minha mulher só com um POEMA! Aqui está, eu minha mulher de 20 anos e o tal poeta que a levou...

Cantar Natal - Canto Firme de Tomar

"O realizador e a sua ENERGIA contagiante...
É um PRIVILÉGIO enorme TRABALHAR com Alexandre Cebrian Valente"

"Vale todo o OURO DO MUNDO para mim esta foto."
Na Golegã
Dália Dâmaso -, tua amiga de infância do Bairro de Santo António é quem faz os Vestuários de todos, é uma excelente ATRIZ, fala muito da solidariedade dos teus pais, e outras coisas que vais gostar de saber no tempo difícil que foram vizinhos .

Dália na peça de Gil Vicente
Sabes que sou Narrador da Banda Nacional da GNR? Irei em breve fazer outra narração em Lisboa. Quero-te na 1ª fila.
Anúncio do Totobola http://youtu.be/RI9GEGbK9es
Na primeira página...Outrora...Professor de Tomar foi PRESO!
Apresentação do Livro "Os íntimos" de Inês Pedrosa, pelo escritor/poeta Nuno Garcia Lopes.

Com a Marta de Leite Castro e com João Baião

Com o Ricardo Carriço


No Terreiro do Paço está um filme com isto e ao lado fui Rei de Carnaval
Making off da produção do filme holandês:MILO
"Faço de português...resumo do filme...
Fiz de Português ,dono de super mercado da aldeia,com bomba de gasolina...
Seduzi a Turista, ela vingou-se e abasteceu de combustível o carro, ainda comprou outros produtos, e sem me dar cavaco zarpou a fugir...
Fui a correr atrás do BMW no minuto 1,08,1,09,1,10...
A balbuciar: Puta que pariu esta merda!!!..."

(típico com aliança e ouros, camisola interior e boina)
Nem imaginas o que me aconteceu? Fui escolhido para fazer um papel importante para o CANAL HISTORIA.

No casting-, Afonso Henriques ajoelhou e o realizador disse: Estamos numa igreja com muita gente a assistir.Imagina o que dirias: Eu fechei os olhos e disse: Caríssimos irmãos, sabede que estais aqui reunidos, não por acaso,mas por coincidência significativa, pois assim estava escrito. Afonso...tu foste o escolhido o eleito...Prometes...
E ele disse: Corta!Encontramos a pessoa certa...
Fui selecionado para Grão Mestre da ordem dos Templários.
Coisa do outro MUNDO...Foram 4 dias alucinantes!
Estava no sítio certo à hora certa!
Fiz de frade na Charola.
Ontem vi a minha participação no vídeo...bem, nem sei que te dizer!


Este aqui é que vai aparecer depois na capa do filme.
Podes ver no CANAL HISTORIA a partir de 2 de Maio...Os meus episódios só final de Maio.
-Caríssimo amigo, mereces. Sinto que estás radiante, não foi só sorte, tens talento, brilho no olhar, e paixão pelos fatos da história, mote fácil em demonstrar no casting. Ainda bem, que bom, nem tudo é mau, deves sentir-te orgulhoso, já disseste aos teus pais?
"Não deu para contar. Foi tudo muito rápido. Os elogios são dos teus olhos ou da tua alma pura que vê em tudo o que lá não está..."
- Então "Nunca fui feliz nos "Orgasmos" por isso tenho estes Orgasmos, não terrenos...Nem dá para te explicar..."
-Sinto...sinto. Sabes que eu no banco era igual.Garra, empenhamento, talento, e sedução na escrita, para ter sucesso nas operações -, dia que não sentisse um orgasmo intelectual não era dia para mim!
"Pois então não sei do que falas...Estás bem na vida? "
-Mas porquê?
"Ora...no Cabo Espichel...tanta luz que se confunde com tua LUZ..."
-Ah sim, sou uma mulher de afetos e de luz...podes crer
"Nota-se que estás feliz, se se poderá aplicar esta palavra.Vais à feira dos Pinhões?"
-Não, está de chuva, vejo na televisão.
"Eu lembro-me de quando era criança."
-Eu também, e dos rapazes comprarem os pinhões às meninas do colégio que se passeavam pela feira vestidas de bata, algumas de mamas grandes, as ostentavam cebosas no peito...
"Ah! Que saudades..."
-Percebeste o que escrevi? Falo da Filomena com grandes mamas... suposto não lavar a bata ao fim de semana... com isso as pregas no peito qual altar, se mostrava mui brilhante!
"Como me terá passado despercebido...eu que gostava de olhar para as "mamas" das colegas..."
-Fizeste-me rir , não percas a esperança em encontrar de novo o amor...
"Já perdi a esperança...há sempre um tempo próprio e esse tempo passou.."
-Notei a tua ausência, tiveste gripe?
"Pneumonia"
-Tens de ter cuidado, olha que muita gente lerpa desta para melhor...
"Pois o médico avisou-me"


Pois fiz várias...algumas de cara tapada para não ser reconhecido, pois fui Mestre da Ordem.
"Este foi o Frade que cantou.
Em nome pater ed filiu ed espririto santu Dominus voviscum
Lembrei-me de ti Freira! Claro que num banco no Pulpito... "
- A sério?
"Lembrei-me de ti, ali sozinho à espera passam-me Coisas pela mente...Ás vezes até estava distraído...e tinham que voltar a gravar..."
-Mas porquê?Porque raio de distraíste ao pensar em mim?
" Depois explico-te...Queres saber ? Deixa-me concentrar-me para resumir, agora não consigo, estão a chamar-me..."
-Bem deixas-me curiosa, o que mexeu contigo?
"Espera! Rapariga!"
-Amei essa espera rapariga...senti o teu sorriso franco, aberto, glorioso...
"Basta teres estado nas Freiras. Estou a ficar preocupado...pois lês-me a Alma!"
Somos almas semelhantes da mesma geração: amamos a terra, as tradições, as pessoas, a vida, temos muita cumplicidade, andamos no colégio, eu com a tua irmã Fernanda nas freiras, e claro temos alguma dose de loucura...no gosto de sonhar, e falar, falar...e claro rir!
" Disseste tudo..."

Eu faço de Gualdim Pais cavaleiro Templário. Ele ajoelhado e eu a falar.
Disse-me o realizador que quando eu entendesse mandasse levantar, e sem que ele desse conta, lhe desse uma Estalada, e dizer: Para que nunca esqueças. Ação: E eu lá fui...no momento da Bofetada uma com Força Dei-lhe estalada verdadeira, mas era para ter feito o Gesto. Risada geral..foi motivo de Conversa todo o Dia!
Imagina que esse facto foi o que me deu mais importância no seio de todo o grupo...
Eu em cima de uma mala, para ficar à mesma altura...

Imagina...andei nas nuvens...completamente!
"Ainda assim...já te disse que eu já Desci aos Infernos nesta minha vida...Por isso o destino dá-me estes Bónus..."
Sabes que em Coimbra o jardim da manga a arquitetura ao centro fazia-me lembrar uma charola em 78 quando trabalhei nos Correios , tanto a contemplei da janela...A sonhar!
- Lembro-me dessa paisagem que falas...Como saberás minha vida foi em Coimbra uma parte da Juventude.Quando decidires vir...Avisa com tempo para que eu escolha a altura de te armar cavaleira Templária.A tua Iniciação será falar de Faianças e Porcelanas...
Amei o descaramento só possível de homem nascido em berço de Lisboa a pequena com rossio...
-Imagina eu de Espada brilhante e tu de Joelhos na Charola no centro...E depois um cavalo branco à porta e eu a judar-te a subir!
O cavalo ainda é mais bonito que aquele utilizado no dia dos Castelos...
Não é meu, claro, mas de uma Escola de equitação que colabora com o Convento.
Brutal fazes sonhar as pessoas. Acho fantástico as tuas iniciativas. Tomar ainda um dia te vai honrar pelo amor e dedicação que tens com a cidade e a sua história, não faziam nada demais!
- Nada disso.São os olhos da tua alma sensível que vêm essas "coisas"...
O que tu vês? Um dia quero encontrar-me contigo para me veres melhor...Como será veres tudo o que lá não está...!
Eu nunca me engano. E tu meu caro e bom amigo és um homem fascinante, alegre, com gosto pelas tradições e partilha, no prazer de fazer os outros um pouco mais interessados e felizes.
-De certeza que hoje os turistas brasileiros foram felizes, como sabes? Tu tens puderes mediúnicos?
Tu aparentemente triste és um homem alegre, irradias saberes no prazer em manteres à tua roda todos felizes-, só poucos o conseguem. Por isso foste escolhido!
-Bem tu surpreendes-me a cada palavra tua!
Não te incomodo mais por hoje, estou a ver se estrabanta para ir às compras.
-"ESTRABANTA"...Que saudades da minha avó a dizer isso. Há mais de 30 anos que não ouvia!
Ao lado do Tejo em cavalgada alucinante. Aqui a fazer de aprendiz de cavaleiro,ainda não era Templário...


Cavalo à minha medida, repara que é pequeno, foi de propósito.

D. Afonso Henriques sempre atento...saída do Castelo de Almourol...Os mouros!

Na saída noturna do Castelo de Almourol os mouros estão ali no rio Tejo!

Este gajo a rir-se e eu ali concentrado.Tivemos que repetir
E o outro com um olho fechado...só eu e o de trás a fazer bem.
Ontem na despedida.O mais alto vai ficar no trailer do filme.O outro é Afonso Henriques
Foto da despedida o ator principal - Roberto Bonacini

De joelhos era quase da minha altura ...

O jornal "O Templário"esteve presente nas gravações



Apoio da ADIRN-Nas gravações para o CANAL HISTÓRIA
A faiança portuguesa, uma das minhas paixões-, deu-me de borla o mote em te definir por poucas palavras.
Bela terrina da olaria de Alcobaça de José Reis do Museu Maria do Céu e Jorge Pereira Sampaio.
Faiança FALANTE

Palavras para quê?O meu comentário no face:
Parabéns meu querido amigo João Patrício -, não fosse tamanho maior, o teu sobejo mérito, de homem dedicado, inteligente, abarrotar de talento que Lisboinha viu nascer . Possuído de caráter genuíno, estirpe humilde, especial no trato, esforçado, e craveira inteletual -, gostas da festa, de rir, falar, declamar, e contar histórias. Homem multi facetado, encarnas com sucesso várias personagens-, qual animal de palco que muitos, e eu própria aplaudo.
Honras de ator, sendo professor -, honras na dupla pela excelência e orgulho o concelho de Ansião, berço de tão digno filho!
Almas viajantes , tu e eu , o mesmo mal de queixa, outros por aí -, neste mundo perverso de invejas e "gentalha de merda" que não nos compreende, sabe e deixa amar, muito menos ajudar.
O nosso caminho tem sido trilhado a custo, sempre a cair, levantar, e voltar a andar, porque acreditamos no sonho -, e, o sonho comanda a vida!
"Inveja! Ah! Aquilo que já me fizeram por Inveja. Até na escola os colegas nem me emprestam os alunos para eu não brilhar...Por exemplo, preciso numa certa hora de uns alunos e os colegas dizem...que não podem ir porque a matéria que estão a dar é muito importante...E eu não posso ir com a Televisão em Tomar no Convento ...
Valeu a pena ter sofrido tanto para chegar aqui...Nunca ninguém me descreveu assim...Estou emocionado..."
- Humildade excessiva é perniciosa, sabias?
Recuperamos o pão dos Lusitanos com farinha de bolota ou castanha
Farinha de bolota:A bolota é apanhada no Outono quando cai, é selecionada (colocando-a em água as que não estão em boas condições vão boiar). Cotam-se ao meio e cozem-se num tacho com água e sal até a casca ficar solta. Descascam-se e congelam-se até serem utilizadas. Para as desfazer e transformar em farinha descongelam-se e metem-se na picadora 1,2,3.
Ingredientes: 100 ml de azeite + 750 ml água morna + 500 gr de farinha bolota ou castanha + 1000 gr de farinha de centeio sem fermento + 60 gr de fermento de pão + um pouco de sal + 6 colheres de sopa de mel
Amassar tudo e deixar a levedar de um dia para o outro, umas 6-8 horas. Voltar a amassar, deixar repousar 30-45 minutos e colocar no forno.
O trigo é um cereal que nos é alheio e causa muitos problemas intestinais, este pão lusitano é um manjar dos deuses e excelente para a nossa constituição e saúde.
Este pão é fabuloso pois não faz gases nem fermentações intestinais, além de saudável.
Não esquecer que era pão de bolota que os lusitanos comiam, antes da chegada dos romanos.

"Tu queres fazer filmes comigo?Já te convidei...Podias estar lá...tu serias a mais bonita delas todas.Queres ver? Fui eu que estive na seleção das senhoras..."
- Estou a ficar velha de um dia para o outro...Mas acho gostava, agora é preciso ter arte e talento!
A pensar nas vezes que estiveste com o Prof Hermano Saraiva em Tomar e dele tens um autografo-, eu também, sabes que me despedi deste homem que tanto amei ouvir, em traje de vendedora de velharias em Setúbal, qual argumento impeditivo -, teimei e fui ao seu velório...

A nossa RTP , a televisão pública
Bem poderia dirigir-te convite
Na aposta em novo programa de contar a história,
A lembrar o saudoso Prof. Hermano Saraiva
Que nos deixou tamanha saudade!
Fosse pela história, contada em estórias
Fosse pelo teu estar , falar, falar...
Nato hellan  agarra o público no prazer d'ouvir! 
Outro melhor do que tu, azar seria encontrar!
Estás à  altura de tão grande e nobre desempenho!

" Vou para uma reunião - Lutas medievais e Teatro. Só volto noite dentro."

Verdade sempre associei o teu nome aos Patrícios...

Homens romanos abastados
Em cavalgada invasor pelas Serras de Ansião
Tal como tu meu bom amigo
Delicias na arte do palco a exuberância
Belos desempenhos o belo representar!
Orgulho da nossa terra e dos amigos
Magnânimo, sentir o teu estar  em extâse!
Tão grande sofrer na vida, valeu a pena, tamanha espera!
Deus guardou-te neste obsequiar
Aplausos, sorrisos e palavras doces em júbilo!
A história deixas de beiços, encantada!

Jornal O Templário amanhã nas bancas a não perder!
A talhe de foice, agora no fecho pensar n' oiro do remate em querer mayor ao jus do soneto

Mal de mim, sem veia poética
Atrevida, sem medos lançada!
Assaz, loucura no desenfrear
Tamanha é aventura do ser!
O QUE FALTOU? DIZ-ME TU! As desilusões sofridas no teu passado não foram apanágio do teu grande sucesso!
PARABÉNS JOÃO PATRÍCIO GOMES
Tanto Mérito Merece Reconhecimento!
Afinal não me vou sem antes acrescentar um Grito!
Poderá alguém mais incrédulo, e de mente promiscua e mesquinha, que mal se enxerga de pé no hesitar no arremeço de pedras -, sem dó nem piedade, e falta de bom senso sem pensar nas que lhe possam cair um dia nos telhados...E, com isso se levantem em voo acutilante boatos, quiçá aventar e acalentar mau julgar de mim -, que o sou de nobre conduta, sem com isso -, motivo bastante fosse, o fato, de não me conhecerem!
Este meu jeito particular, próprio, e desenfreado que uso na minha escrita ditada a quente, transparente e sedutora -, adocica o leitor a sentir o efervescente pensar em paixão ardente -, com isso eleva a minha pessoa em alto risco no correr a ser mal interpretada, sendo casada!
A acontecer, só podem ser pessoas secas, que nunca amaram -, no pior nunca foram amadas, e o desejam ainda em exaltação sentir nesta vida, pela grande carência.
Também jamais tiveram um amigo de verdade, que deles ousasse escrever com empenho e dedicação -, ao abordar emoções e memórias guardadas no tempo, apenas, e só por isso -, no querer jubilar de satisfação e brutal admiração -, Momentos!
Somos bons amigos despidos de preconceitos, e clichés, sem medos de dizer as palavras -, ele usa a voz, eu uso a escrita!
Aconteceu na puberdade quando inocentes, mas felizes, por isso marcante.
Grande o enorme prazer em recordar episódios, onde gostei de acrescentar outros meus que a estória dele me fez recordar. Apanágio salutar seja de alegria seja de orgulho, o sentir que alguém nesta vida se destacou no querer teimar em deixar um marco na história -, pelo lado das artes, com defesas incríveis em papéis de desempenho especial, entre outros -, fatos que devem encher de orgulho todos os que dele gostam.
Porque aquilo que se vê nesta vida -, é só se falar bem após a morte-, quando assim é maldita forma de escolha para homenagear que jamais suporto ouvir...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog