quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O magnetismo sexual virtual dos dias d' hoje...


Inspirada ao querer relembrar o provérbio antigo "cada palavra que usamos deveria passar por três perguntas, antes de ser proferida: - É verdade? - É necessária? - É uma coisa boa?"
Por outras palavras: se não se tiver nada de simpático ou inteligente para dizer…não dizer!
  • Ora Deus sabe como gosto de dizer!
Batia um resquício de sol no fim de tarde deste inverno teimoso no escafeder de hemisfério -, prostrada no cadeirão Clarinda desperta do sonho meio adormecido, pasma  e se questiona, porque raio procedeu ao tempo de tal modo, assim? 
Decidida em fase tardia no deslindar de tal sofisma -, resulto maior, arquitetar estudo sobre o  magnetismo envolto nos homens e mulheres, melhor nas suas tendências sexuais e vícios-, mote instigador de reflexão e maior conhecimento-, quão entrave enigmático possível envolto em pecado, talvez proibido pela invasão de intimidade, ainda assim apaixonante para melhor  a poder esclarecer.

Tempos idos ditaram na sua consciência haver homens que sentiam gozo com o seu estar de mulher jovem, elegante, sensual e sedutor. Qual cariz maquiavélico -, outro motivo não tivesse -, satisfazer e rir com o seu imaginário no deleite pensar " que à sua conta eles davam umas boas quecas"...
Grande grato prazer -, rivalizar no palco diário da sua vida  no nato e obstinado querer de SÓ -, e apenas SÓ dar nas vistas, atrair atenções -, na deixa fatal sentir o fascínio, quiçá delírios, de uma forma ou de outra ser vedeta e chamariz por marcar diferença, só pelo vestir à mistura de altivez.
Tamanha vaidade neste despautério fascinante, por mais de mil vezes desperdiçado em desfiles vividos na década dos seus áureos 20 anos, status que haveria de mudar depois dos 30, uma vez trintona se decide na aposta de mudar-, porque este estar de vaidade sem glória gloriada, deixara à muito de a satisfazer...  
Abandona o glamour das cores alegres e atrevidas fosse nos decotes e no uso das mini saias  -, passou a vestir de forma clássica e senhoril -, apostou no uso e abuso na sedução das palavras que tão bem sabia conjugar na voz forte e doce que haveria de estrelar, e de que maneira-, quanto mais não fosse pelos orgasmos intelectuais sentidos no trabalho -, em detrimento do anterior vestir... 
Mulher inteligente sem o admitir por timidez e humildade apesar do aparato de estrela, após os 33 anos na idade de Cristo, se apercebe o quanto e, dela tira rendimento!
Fosse pelo ritmo do trabalho, esforço e empenho angariou sucesso no âmbito profissional ao  fazer do seu dia a dia sem qualquer custo o uso subtil deste estar-, estratagema que lhe era peculiar  e a muitos deixava abismados-, inclusive do marketing que a chega a questionar sobre o seu  contínuo êxito comercial com honras de publicação na Newsletter -, eufórica os deixou de boca aberta ao explanar que o contexto era  fazer uso do seu poder de sedução das palavras no intuito de encantar...Que amiúde explicou!
E ainda assim sem convicção, ficavam sem compreender, por serem novos, sem experiência da vida em vendas,  a ouvir muitos  "nãos" e a tratar de reclamações fora d'horas sem remuneração...
Demasiado lentos, apesar de estudos em tal crer  aceitar e discernir!
  • Terminada  cedo a carreira profissional  Clarinda ficou sem palco para brilhar! 
Caraterística que lhe era inata, assim amortecida em dias e meses, a que se seguiram anos , que tanto a afogava de tristeza e letargia, sem objetivos. O filho mais velho atento a este mau estar decide dar início a um Blog com o  intuito de a aliciar na escrita, coisa que sabia tinha gosto -, no pressuposto a ser um diário, no propósito maior de colmatar solidão ao sabor de tal prazer...
Não foi imediato o querer aderir -, demorou uns anos, até que se entusiasmou -, um hábito que não tinha, só mesmo conversa...Falar!
Estarrecida. Aos poucos foram chegando comentários, palavras de carinho e incentivo para continuar, fosse pelo jeito próprio do correr da linha do pensamento afetuoso, descritivo e exuberante que a levam na constante perdição a contar estórias, fatalmente acabam por deslumbrar outros, quiçá também por se perder em deambulações alucinantes no êxtase final -, no reencontro presa ao reler, sente o texto como se estivesse a declamar... 

Consolo deste estar ajudada pelo sexto sentido atrevido no aviso soado mais alto " cachopa se te sentes confortável a escrever de afetos porque razão os deves reprimir? Depois a opinião dos outros  não passa de simples opinar".
Viveu em conflito e batalhas no avançar ou recuar. 
Houve no entanto  um forte impulso e predileção para conhecer melhor o bicho "Homem no masculino e no feminino" que sempre a despertou, entusiasma e inflama de paixão no querer saberes , que desconhece e lhe espicaçam a mente. Campo quase desconhecido-, pela vida que tomou, também pelas escassas  informações para a  sua estatística de tal compreender, no pressuposto fértil  entendível  -, a motivação sexual e a infidelidade, sem contudo tirar louros a quem se dedica  no mesmo querer com formação, vocação e pesquisa comprovada por outros meios fidedignos.
Tais argumentos que  a instigam começaram a ganhar consistência e a acreditação na escrita desperta-a para um novo desabrochar. Incutida de força mayor Clarinda passou a mostrar uma faceta de abertura sobre qualquer assunto sem tabus, mostrando-se menos ambígua, na teima e abandono do conservadorismo que jamais se arreiga dela, ainda assim moderado e atrevido, sem  contudo descuidar riscos, tão pouco criar suscetibilidades a terceiros, eis que  se aventura a cada dia mais e mais e com isso sente prazer!
  • Assim sendo quis assumir riscos, sabia que os havia, mesmo até o de se apaixonar... 

De cariz confiante partiu na iniciativa  neste meio virtual ao aderir e aceitar amizades -, ainda assim escolhas, que fez mas poucas, para entender este enigma que para ela nesta idade ainda tanto a fascina, motiva, acalma e faz esquecer o calvário que transformou levianamente a sua vida -, o mesmo calvário acredita numa maioria de outras pessoas . Cada um com o seu , apenas se mostra diferente pelo peso-, seja cortiça, madeira, ferro ou pedra...O dela para mal dos seus pecados, bem pesado!
  • Mas o que  a motiva e questiona neste querer? Simplesmente entender pessoas que pela frente se mostram de boa conduta -, debalde se destapam num ápice  e descaem, sem qualquer esforço numa simples conversa desinibida sem preconceitos!
E assim desta forma quase proibida, diabólica, inusitada, partiu nessa descoberta férrea...
Foram cinco anos... 
Assumiu os riscos, porque nisso os assume de pé como as árvores!
Ora podia bem passar sem estes aborrecimentos, podia! 
Mas  e o gosto da adrenalina?
Sentir que apesar de ser vulgar de aspeto, sem atributos para derreter o olhar, e de idade madura, o poder da sua escrita a catapultou para grandes paixões com legião de admiradores, e isso confessa lhe excitou o ego, deixou-a a vaguear no sonho que tem sido bom na inspiração para escrever cronicas romanceadas, como se tivessem sido vividas pela sua pessoa. E,... Os riscos estão sempre presentes, sofreu por não poder corresponder, tristeza e mágoa por ter de dizer não...
Porque nesta vida nunca soube aproveitar oportunidades, talvez porque acredita no amor, e só por ele se atreveria em tão alto perder!
  • Sabe que foi imensamente Cruel!
Sofreu e fez sofrer, causou amuos, outros pequenos aborrecimentos. 
Fatal a perda de amigos e amigas.
Inevitável  fazer comparações...E não devia!
Apaixonou-se!
  • Imensamente abalada por não ser livre, por pecar em pensamento e palavras-, menos nos atos e omissões, mesmo assim pecadora, por isso o lamento do gosto e grito de liberdade, para não se sentir afogada na mágoa! 
Viu-se obrigada a desempenhar papéis diversos: mãe, amiga, conselheira e até de namorada (?) para espicaçar, com isso o abrir do livro das suas vidas, que é difícil.  
Mas afinal sem jamais o querer sentiu-se vítima assediada-, por sua culpa que pouco, quase nada gozou, pior ainda se dispôs a cenas ridículas que rematou felizmente com êxito.
O mesmo como no passado, o que a intrigou. Afinal a sua vida desfez em  Lamentos, e Porquês a cada dia, porque também ela Sonha ser Feliz!
Deu preferência ao padrão mais interessante de homens  e mulheres de  caráter fogo.
Fez incursões numa faixa etária  padrão dos 37 a mais de 70 anos nos dois sexos.

Privilegiou escolhas com perfil  de inteligência alta, e muitos saberes.
Sentiu tantas coisas...Complexos.
Demasiada conquista que lhe soou a sexo descartável!
Fatal foi o despelotar de flirts, paixões que teve de apagar de forma subtil -, surpreendente no caso, também de mulheres.
  • Em apoteose sente que descobriu o perfil que a desperta, a  instiga  e lhe dá luta!
Os homens  vibram com mulheres imprevisíveis que constantemente os surpreendam, que sejam inteligentes, desinibidas, gostem de aventura e sejam boas amantes.
As mulheres deles esperam o mesmo, que as bajulem em elogios e  que dure no tempo, o potencial sexual. Notou alto grau de  inteligência cultural nos casais homossexuais, sobretudo no que lidera que faz de macho. Nas lésbicas, a masculina desempenha o papel de líder da relação, de modo geral sábia, atrevida, destemida e persuasiva, gosta de mulheres para adular, disponíveis, criativas e sensíveis , as tratam como se fosse a sua estrela correspondendo à solicitação de todas as suas vontades, pouco as deixam fazer tarefas  domésticas, e obsequeiam amiúde.
Os gays, o que desempenha o papel de macho revela um estar sempre de cautela, apesar da pele de cordeiro e do caráter de generosidade -, muito atentos, sempre de pé atrás em relação aos outros, do que falam, dizem ou escrevem, se melindram por tudo e por quase nada, e quando assim é -, os olham de  alto a baixo com  ar de desprezo, desconfiança  e ciúmes, sem hesitações matam amizades a frio, no querer mostrar o ser superior, no cumulo se acham donos da verdade. Homens secos de alma pelas vissicitudes cruéis ditadas pela vida, como se os demais ditos normais tivessem alguma culpa do seu estar em ser diferente nesta sociedade repleta de clichés -, reagem por impulso de crista acutilante, severa e arrogante, convictos que estão certos, no limite gélidos com sede de vingança...Já os que optam pelo papel  de fêmea, de caráter efeminado e doce, estar pacato, calmo mas também irónico quanto baste apesar de franco e sociável, apreciam ser presenteados.
  • Caso insólito um flirt de uma mulher que a apanhou de surpresa -, valeu-se ao fazer uma cronica alusiva ao tema usando nomes fictícios de fácil interpretação à visada, que resultou incidindo no ponto que não tinha sobre as mulheres qualquer interesse sentimental. O mesmo para  homens muito mais novos, usou o mesmo método.
  • Em ambos os sexos notória e tremenda carência, sobretudo  incompreensão e desamor. 
Há homens com o gosto de fazer sexo violento no uso de  força desmedida sem olhar à dor e ao desconforto da parceira, na ilusória percepção que as mulheres o sintam animal sexual tesudo -, na volta é só desforra das suas frustrações, porque amar, é a antítese no desfrute de boas emoções no mesmo querer vividas a dois com doçura, partilha, diálogo sem limites.
Clarinda sentiu que há  homens de apetites fartos que se escondem no farsante papel de pinga amor, naquele sentir-se desejado por muitas mulheres, de todas as idades. Gostam de se sentir no papel de  mulherengo. Tal variedade tem de serventia melhor aprendizagem em saber lidar com elas, aprender os seus gostos, evoluir técnicas, testar comparações, em suma somar ao rol de conquistas,  o mote vernáculo do clímax!

Muito homem, privilegia mulheres mais novas -, que a eles se atiram pelo sentir maduro, sedutor, cabelos grisalhos, experiência de vida e dinheiro no bolso. Encantamento que os faz sentir vigorosos, idolatrados e invejados -, mas delas tem o hábito de falar mal, que não sabem fazer sexo, razia de tarefas domésticas, só pensam em luxos, boa vida, férias, viagens e presentes ao tamanho da conta bancária com apartamentos, bom carro, e renda mensal...
Muitos são usados, e disso nem se dão conta, ou dão tardiamente, apaixonados ficam quase sem vintém...No louco desvario que um dia por elas foram amados, sendo que apenas foram usados -, sempre a pagar e muito bem à massagista -,  termo simpático em voga para o adultério!

Outros não perdem tempos, só querem o seu prazer, saltar de uma em outra -, espertos, o padrão de  escolhas reflete mulheres com poleiro, geralmente casadas que paguem  faturas e obsequiem com presentes caros. Sendo na boca deles grandes amantes, cheias de tesão, enxutas, vivas galopantes enérgicas desejosas de extravasar o stress quotidiano ditado pelo cansaço a derrubar ideias  gastas sem mais valia em homens lerdos de cabeça oca e vazia -, uma vez na cama com o amante-, sábias e loucas os envolvem e excitam no sorver sôfrego do sêmen ejaculado em jatos sugados, desalmadamente em júbilo!

Aprendeu com eficácia a conhecer os perigos dos devassos -, a que chama nojentos, predadores, tarados -, navegadores sérios de todo o tipo de sites da especialidade no maior desejo em encontrar mulheres desesperadas e carentes. Rápidos na abordagem ao que delas esperam e querem, partem na partilha de vídeos em poses escaldantes para as animarem, também no intuito a dois usar a masturbação diária no trabalho, até mais do que uma vez, que os excita pelo perigo e ousadia do direto nos seus gabinetes refugiados sem pudor, e depois  à noite na calmaria e relaxe em casa... 
Valeu-se da capacidade da memória em visualizar as suas fotos.   

Outro fator importante na pesquisa -, a falta de orgulho, de amor-próprio, amálgama amargura, por não gostarem de si -, melhor do seu pénis...
  • Seja pela pequenez, curvatura tipo gato assanhado, inclinados, quase mortos pelo peso morto em feitio de fita de nastro , ou outras disfunções. Sem se aperceberem que pouco ou nada  interessa. Há que aceitar o corpo “Quem não tem cão caça com gato".
Outros por sentirem disfunções sexuais por anormal tamanho do pénis, e na sua necessidade de exacerbar o ego, pelo desejo constante de sexo quando jovens partem no desdém da conquista fácil e fugaz, na ideia trilhar novos conhecimentos com mulheres muito mais velhas, que os entendam, sendo que as que encontram, algumas acompanhadas, se sentem sozinhas, mal-amadas mas cheias de tesão, se babam com a performance do seu garboso instrumento vivo, que se alevanta em força abençoada e tesuda a subir pelo écran  como se fosse magia, ao minuto vivem retratos de  emoções da  paixão lunática a dois, sem o contato com a pele de caras desvairadas em desespero gritam gemidos por carícias sem as ter nos seus corpos semi nus, gozam prazer irreal  que ao fim de tanto esfreganço acontece o orgasmo virtual... Eles mais tarde incutem nelas a vontade do conhecimento pessoal,  marcam hotel, sem que antes lhes perguntem o inusitado "achas que ele entra?" atendendo à flacidez própria da idade da mulher, que em outras sendo novas, ficavam à porta a espreitar!

Fácil parece ser entrar neste meandro de roda-viva nesta comum  partilha  sexual diária sem qualquer outro interesse que não seja o desfrute do prazer irreal carnal, ainda assim de sabor ilusório confortável, na descarga sempre para os homens aliviado, já das mulheres, muitas se ficam pela metade...
Puro manifesto este gosto de salpicos de parceiras virtuais que até podem ser de todas as idades. Mulheres desfloradas, ainda assim ardidas e  cheias de comichões encontram neste estar virtual o fácil matar fulgor e ardente desejo, despelotado em muitas pela  menopausa que as deixa como se fosse o voltar a sentir a adolescência, fato que tentam omitir com artimanhas e doenças, mas na verdade  muitas  delas sentem falta de sexo, com isso a procura na necessidade de abrandar e acalmar tanta carência escondida e mau humor, que se aventuram neste viver alucinado de partilha com visualização simultânea dos seus corpos desnudados, despidos ao sabor do striptease, na pura e frenética  ilusão imaginária, que se estão a amar -, malfadada a  falsa  comunhão avulsa dos seus corpos " ao serem fodidos sozinhos" no jorro de prazer solitário a solo mio como se fosse a trincar tremoços! 

E disto pouco, quase, nunca falou, mas entendeu sem quase entender, e por isso difícil de explicar...
Mas sentiu, como sentiu!
  • O que mudou então? Dantes havia  revistas com poses eróticas, hoje é ao vivo nos PC a fazer eco às montras de Amesterdão!
  • Tanto homens como mulheres mal-amados, sentem falta de atenção, até dos amigos, e deles sentem ciúmes e até cobranças, quando estes por força de outros novos, e do seu dia-a-dia deixam de manter o contato assíduo. Esquecem que a amizade não se compra, cobra ou adula!
Há homens que teimaram no evoluir da satisfação feminina-, por razões várias muitas ainda de caráter menos fogoso as conquistam pelos preliminares, mas sentem que elas lhes mentem quando dizem que sentiram orgasmo na penetração... 
Estar  que Clarinda sente tenham razão, as mulheres são sábias na mentira...
Mas isso levar-nos-ia a outro patamar -, nem só o orgasmo é mote de  prazer, tudo o resto no encantar na relação, pode ser igualmente bom, se for deliciosamente bem feito ao sabor de música, de muita carícia e criatividade com brinquedos...

No resulto final  a cifra do sonho em encontrar o homem ou a mulher impossível -, ora na pratica não existem...só se podem complementar se para isso houver respeito!
Porque o que existe é um bocadinho daquilo que se ambiciona, em cada um deles que  se descobre sem perdas de tempo na fúria procura e no despique virtual nas horas a teclar com partilha de vivências, no  frente a frente a fingir amar, e depois quando a distância é curta o fatal conhecimento, para sentir se há a mesma cumplicidade que se sente a teclar...
Na maioria revela-se desastre, porque o teclar se revela mais apaixonante, desinibido, autentico, sedutor e real! 
  • Intrigante e muito, este constatar! 
Esta faceta só entendível para os casais que se amam que por força da distância motivada pelo trabalho os ajuda a colmatar o sofrimento de ambos  que se masturbam, no mesmo sentir alívio. 
  • No pior sentiu que há homens que gostam de possuir uma mulher para dela se servirem!
  • Alguns sejam pelo acumular de complexos e atrofias perturbadoras de mal-estar (?) muitas vezes infundadas, na necessidade premente de ser esclarecidas por alguém que os oiça, dê atenção e desmistifique, buscam na  procura o par ideal -, que os respeite, entenda e ame como são, desvalorizando a beleza exterior e até o desempenho sexual .
  • Confessa Clarinda, este o padrão mais fascinante que gostava de poder explorar mais!
Na mágoa sentiu na prática a única coisa que ousou neste estudo fazer -, em que o visado não soube saborear um abraço fraterno... 
Dele se espera ser bem forte no  fluir as energias e despertar emoções a sentir borboletas desde os pés à raiz dos cabelos, sem medo do risco do gosto se instalar, nem dele tão pouco se querer  tomar conta desajeitados naquele desenfrear em aflição -, mas logo se verá se há clima no acontecer ou não!
  • Porque não há NADA que se compare ao contato humano no sentir as emoções da  pele!
Porque é a vontade que distingue um grande Homem e uma grande Mulher, não me parece ser um enorme absurdo não aceitar os meios que temos para atingirmos aquilo que queremos.
Contudo para o atingir não vale fazer batota, nem arrogâncias, nem despotismo, nem desconsiderações, nem falar por falar…
  • O que aparece aqui escrito o foi com dignidade, descrição dos visados, dos seus nomes nem abordou, apenas no intuito de melhor entender o bicho Homem -, no masculino e no feminino nesta nova era informática facilitadora do conhecimento virtual! 
Porque o carácter e a inteligência podem impressionar as pessoas, mas é o amor que se dá a alguém que o faz brilhante e inesquecível. Isso é o que demais puro  se tem  para dar e, aparentemente, o mais difícil. 
Uma grande maioria passa a vida a fazer "truques de magia"  a tentar mostrar o que parece e vale (quais pavões em palco diário) -, quando um coração aberto encanta qualquer ser humano!
Clarinda olha o passado que passou, sabe hoje que só se aperaltou na flor da idade em exuberância por se sentir mal amada-, e por tão grande falta os louros na recompensa de piropos, olhares e admiração...
  • Nada mais teve, apenas ficou com a lembrança de bons momentos, apesar da carne mui sofrida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog