terça-feira, 4 de março de 2014

O Entrudo Popular sem o sabor do cafuné!

Aguarela do Rio de Janeiro de Augustus Earle de 1822 do Entrudo na família


Gostei da tua analogia da nossa conversa virtual:" Telefone sem voz"... 
Diz ao teu filho que és a minha Musa...Ele só pode interpretar como uma "partida de Carnaval"... 
Também me fizeste o mesmo ontem...Ao dizer que estavas perdidamente apaixonada por um tal Mouro!
Só pode ter sido uma "partida de Carnaval"... 
Só assim consegui dormir!
Fazes-me rir e de que maneira, mas tu é que disseste que ele teve ciúmes de ti…
Eu é que fiquei enciumado! Acredita!
O tipo é mesmo Bonito, bem-parecido, elegante! Parabéns!
Que posso eu dizer! É de fato bonito, a voz então com sabor a norte, quente a lembrar o Abrunhosa...Mui doce de jeito travesso e andar atrevido!
Esta noite procurei-te no meu leito como esposa sensual do Cântico dos Cânticos, da Bíblia…Não sei o que é isto: Sei que adoecia em te saber doente! Por isso ao saber-te feliz...Ficarei feliz também.
Pois a "Voz"...Eu não queria que me ouvisses no vídeo…
Por isso mesmo...Imagino que darás muita importância à voz? Como adivinhei?
Qualquer pessoa sensível e romântica dá enfase a pequenos sinais que a arrepiem e façam saltar borboletas...Seja a voz, o andar, a doçura das palavras soadas na timidez da voz  em sufoco, cafuné, ato de fazer carinho na cabeça com os dedos, são apêndices de paixão gritante que desencadeia loucura…Perco-me, e parto em  desvairada imprevisibilidade… 
Como eu adivinhei, que gostarias da Voz! E eu em Pânico, não queria que me ouvisses desta forma! 
Eu queria a primeira vez que falasse contigo, arrasar-te de vez!
Isto é: Quando me ouvisses falar eu saberia que seria muito importante para ti...Como o previ?
Porque somos almas semelhantes, da mesma têmpera, no estar, nas tradições e no pensar...
Eu pensei que quando dizias isso era mais por dizer...Nem pensava que era de fato  ser verdade...
Olha que não sou de falar por falar, sou muito transparente, é claro que este tipo de conversa e abertura era impossível com a maioria dos homens-, por muitos se apresentarem falsos, ignorantes, sem cultura, predadores e outros de mau instinto...
Este estar amigo só é possível quando sinto que estou no mesmo terreno a falar com gente de bem, sensível, amargurada na vida -, tal como eu, que sabe do que falo e comigo se abre a falar de afetos sem medo, e eu com eles na mesma naturalidade, sem clichés ou segundas intenções, apesar do uso sensual das palavras...
No fio da navalha-, e se da amizade nascer um sentimento mais forte, o que se espera é juntos se ajudem a solver o apaziguar mágoas, no alívio da dor que sei é forte. Porque sei sou mulher de gerar grandes paixões sem as poder corresponder por questão de ética!
Então não sei...Conto contigo nisto?
Sim, claro. Ninguém tem culpa de se apaixonar, é gratificante sentir esse apego, mas não podendo ser no momento correspondido, o poderá ser adulado na amizade, sem cobranças, e assim se esvaziar no tempo  prevalecendo as boas recordações -, no limite quando mergulhado em tristeza basta agarrar  nelas para se equilibrar de novo, no que de bom ficou -, a amizade sempre disponível para um carinho, no dito brasileiro um cafuné!
Ora! Que rica forma de me "Dares com os pés"...
Desculpa, Jamais te poderia dizer outra coisa sendo comprometida. O que me vale é que hoje é Carnaval!
E tu amanhã dirás que tudo isto não passou de uma "Partida de Carnaval"...E que posso continuar a sonhar em  passar os restos dos meus dias contigo!
Voltaste ao principio? Estive a falar para o "Boneco"...
Desculpa é a emoção. Sabes o que vou fazer hoje de tarde? Não adivinhas?
Nãoo...
Vou visitar os meus pais. Depois irei à procura do rasto de luz que sinto vagueia moribundo, aquando da tua rota de viagem de tantas vezes  a caminho da tua casa e teimas em deixar para mim...
Ainda sou do tempo dos montes despidos sem eucaliptos...O Santo António ajudar-me-á ou não fosse ele O Santo Casamenteiro!
Vou procurar-te por em cada esquina: Procuro-te. Procuro a tua ternura!
Dou uma pista.. Olha para as cortinas de linho com rendas abertas, leva os teus pais eles vão adorar, vão falar mal do quintal de erva enorme e as vides por podar...Este inverno atrasei-me e os jardins em selva equatorial...Tudo deve estar um caos...
Como eu gostaria de Ser o teu Jardineiro!
Olha que não diria isso, tenho um perfil de chefa, estou sempre a mandar fazer, ao pé de mim ninguém está parado, gosto de mandar e de fazer.
Perfil de chefe?
Sim, mas dos bons.
Ah!!! Líder de comando das hostes... 
Ah!!! Olha fizeste-me recordar o líder das Pulhas na minha aldeia...
Também sabes da sua existência? Sabes do ritual das Pulhas
Então não sei...
"Mexericos de escárnio e maldizer ditadas em voz declamada em outeiros para soar na aldeia a voz do vómito rol fosse das novas amantes, dos pais de filhos incógnitos, de gajas eróticas fugidias na noite que dizem homens se emaranham pelas paredes, atras delas no alto madrugar..."
  • Eh! Pá! Nós fomos feitos um para o outro!
Queria dizer temos mais uma coisa em comum. Vivemos as mesma experiências que nos tornaram nas pessoas que hoje somos, fosse pelo respirar os mesmos ares das serras e das águas sadias .
  • Nisso levo vantagem ao Mouro... Ahahaahh...
Vou à tua procura já que mais nada posso fazer, guardarei as melhores histórias para te contar ao ouvido...
Hummm...
Já estou a gostar...Esse hummm, arrepia-me e de que maneira!
  • Bom Carnaval que esta Pulha foi  a contento dos vais, vai-te feliz, que me fico bem!
ad'hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog