quinta-feira, 17 de abril de 2014

Desengatilhado engate com Adriano (Trajano)...

Alguém um dia escreveu que se formam mais tempestades em nós mesmos do que no ar, na terra e nos mares. Reconhecer que apesar de não poder parecer, Lilia se revela mulher sensível, quase  sempre incompreendida, algo mística e complexa, deste modo o tem sido ao longo da sua existência e ainda o faz repetidamente nesta idade madura-, sendo que o mérito não está na ação e sim no hábito, segundo Aristóteles...Entrou em introspeção, limpeza interna e retiro espiritual, para se reencontrar !
Investe em tempo porque precisa -, como precisa do seu recanto da sua casa, do seu espaço, da sua liberdade, quereres que jamais abdica !
Pressente que tenha de ter cuidado com a  frontalidade... Porque segundo ela-, todos somos feitos de cristal no que toca a sensibilidade, daí que a consideração e moderação na comunicação é vital para que não se levantem mágoas e frustrações que seriam mau presságio para a  imprevista e frágil amizade com Adriano (Trajano) que na data marcada apareceu bem vestido, e soberbo sobretudo, mas no seu apartamento de férias faltou música, ao convite sedutor para dançar até cair de cu no sofá , nem tão pouco arroubo de alegria de beijos lânguidos...O despir aconteceu sem glamour pela sala no meio de tralhas velhas, quão ambiente gélido apesar do aquecedor, nem desfeita foi a cama...Mostrou-se homem muito viril,  fácil  foi vê-lo entrar em Nirvana, em êxtase, não fosse  Lilia tomar as rédeas do comando, fácil esquecer-se dela que a deixou pela metade...Homem de perfil a denotar hábitos arraigados de somente receber prazer com ligações tipo "acompanhantes de luxo?" Em que paga para ter companhia e prazer?Fácil lembrar da miúda casada que segundo disse esmifrou-lhe um apartamento, e da outra mais velha queria ...Já a massagista lhe pergunta sempre se deseja mais alguma coisa...Não o censuro, o poder do dinheiro paga tudo, até complexos de inferioridade!
Lilia, mulher a viver  sozinha há anos, amargurada, na casa dos cinquenta, decidiu apostar neste admirador mais velho, depois de pouco tempo de conhecimento mas pela alta cumplicidade da linguagem picante que parecia adoçar ambos, para logo sentir o engano e acordada, antes que fosse tarde resolve escreve-lhe "Sabe que fez tudo ao contrario do que estou habituada? Gosto de passear, conversar, sentir cumplicidades no riso, e  na hora do almoço degustá-lo onde aprouver aos dois, de novo sair e voltar a passear, só depois desfrutar de outros prazeres -, relação que até hoje,  jamais aconteceu de forma intimista e doce e, assim queda e perplexa em lamentações entre o sim e o não, no balanço falhado em ter decidido prevalecer arriscar nesta aventura, havia algo a me instigar que o devia fazer (?), mas na verdade é que me vejo obrigada a  riscar o seu nome da minha vida, por não aprovar uma série de atitudes, em bom português, não me satisfaz. Por isso neste agora lamento informa-lo que procuro outro tipo de homem que seja mais romântico, doce, gentil -, no caso deixou transparecer dose de tarado e falso romântico (?) Porque arrepiante foi o facto de não ter sentido nenhum brinde como uma flor me oferecer -, que bem poderia ter roubado da sua jarra quando saiu de casa, do seu jardim, roubar da vizinha, ou mesmo da berma da estrada, teria sido a mais bonita...Para não falar que rejeitou o seu gesto doce ao almoço em dar-lhe na boca um camarão, embora se viesse a redimir depois na sobremesa...Sentiu que se intimidou quando invadi a sua privacidade, ao entrar apressada no WC quando tomava banho -, mas se estava aflita para retirar a camisinha...Qual fúria dilacerada avassalava a minha mente, no limite senti desaparecer dali nua, de roupas nas mãos e bater com a porta-, mas sem antes ser mal educada!
Aterrorizada com a sua "fobia de compras" ...Tudo parece lhe dar prazer em ter, em adquirir...Impossível não se aperceber da conversa que estabeleceu com o seu amigo Vasco, em alto som com toda a gente na rua a ouvir... " o casaco de peles da marquesa, e dos dois que comprou a transadar a tabaco, a criada teve de os pôr ao sol mais de 3 horas..."
  • Lilia a  pensar nestes handicaps negativos sente-se enjoada!
Quiçá se constrangeu andar por locais públicos, não por ele ser mais velho, na verdade nem sabe bem o porquê ...Quando está bem com um homem de quem gosta, aprecia andar de braço ou mão dada, beijar na rua, jamais de mãos nos bolsos enroscadas no forro... No limite por sentir que foi embuste esta fantasia de Adriano (Trajano) porque decide acabar o sonho  do que poderia ser uma boa vida de prazeres, viagens e, ...Porque há outros valores simples, que o dinheiro não paga, mais importantes...Lilia ao invés do dinheiro jamais prioridade, antes sempre nesta vida privilegia o Amor!
E num ato de coragem decide escrever-lhe "Por tudo isto julgo que ao ver-me de costas naquela tarde de novembro me interrogo, acaso se confundiu com um objeto estranho que apostou logo ali comprar? Mulher carente, com frio, não resistiu ao seu charme na sua idade e na ajuda gentil com os sacos...Confessa que gostou de o ter conhecido, apesar de ficar a pensar que o seu interesse se revelar por mulheres jovens, na casa dos vinte anos -, sendo Lilia uma velharia, por isso a encontrou na feira da especialidade!"
  • Hipocrisia seria se Lilia não lhe falasse sobre o que tanto a agoniou na intimidade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog