quarta-feira, 2 de abril de 2014

♥Eu sei que vou te amar♥


Eu Sei Que Vou te Amar  de Tom Jobim

Na voz de Ana Carolina

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar

E cada verso meu será
Pra te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida
Eu sei que vou chorar

A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou
Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida

Linda, de cariz adormecida com o baile de palavras doces das muitas vezes que o namoro a estimula, e lhe aquece o ego ...Será fantasia ou realidade? Como as sabe todas de cor, as repete, e declama ,ao sabor de poema, nos longos dias vazios e de poucos nadas, sempre a contar minutos e segundos para o voltar a rever, falar, sentir paixão...Uma de ontem...."sinto que estás comigo, nota-se logo"...
O sono e o acordar dia e noite, vai e chega a pensar nele, maldito ou bendito assédio ferranho que a enlouquece, atazana em tremenda ansiedade, e a divide no que é certo e no errado. As insónias, a praga que a deixa enroladinha como um bebé no útero da mãe, de mão a segurar a face , quantas vezes acorda em sobressalto pelo inusitado calor anormal e desejo, se tapa e destapa, revira-se na cama, e há vezes que apazigua o corpo para se acalmar quando irrompe a respiração em velocidade ofegante, transpira em águas, a disparar sonhos, acordada a vaguear, ele e ela, por tantos destinos; a pé, de mãos dadas, de carro, avião, barco ou in  love na caravana ...Sonhos repetidos na sua cabeça por viver a dois em tanta hora, dias  e anos!
  • Laivos da conversa de ontem  transportou-a para uma praia  paradisíaca de Angola...
Nítida era a imagem dos seus corpos desnudados ao sol  na colina abrigados pelas dunas, ele e ela num só corpo, unidos em amor ...Na aurora do alvorecer não fosse o sol na teima em se fazer nascer, sem os acordar, apesar dos raios cada vez mais intensos e fortes a brilhar nos seus corpos unidos, vestidos de pele nua, na súplica de banho reconfortante de águas mornas e cálidas, em ondas desfeitas de espuma que se desfaziam de mansinho.
  • Ora bolas, Linda acorda no melhor da festa, e não gostou de não poder acabar de saborear o sonho!
Queria ainda sentir o seu calor sobre o dele, saborear esse clima de praia, maresia, frenético de prazeres.
Sentida vontade louca e desenfreada, de ser sua outra vez naquele momento, como noutros já comungados e sentidos a dois...Conteve-se para não se tocar...E como!
Difícil foi suster tanta emoção...E desejo!
Abriu os olhos, viu-me refletida no espelho...Espantada!
Triste e sozinha, de novo nesta angústia-, sim ou não, apagar  fogo, mulher bombeira!
Sempre a mesma coisa, eternamente com o pensamento nele, somente sozinha, frustrada!
Queria mais, precisa de mais! Será que ele o sabe?
Redimida, sem jamais ter sentido o auge do clímax na vontade aliviada de mui desejos dele.
Ainda assim se sente doce de novo à sua espera, que tarda por tardia!
  • A decisão -,o quebra cabeças, o perder a liberdade!
  • Difícil-, valerá a pena perder tanto por um amor?
  • O tempo o ditará, fatalmente!
Fica na vontade da próxima vez lhe mordiscar a covinha no queixo, igualzinha à sua...
Também de  lhe repenicar os cabelos e os mamilos.
Sente que a paixão irrompeu  de vez nela, e nele? Pois, será apenas prazer em desfrutar dualidade!
  • Estarão apaixonados de verdade? Há coisas importantes que os separam, para ele foi passatempo?
Linda, quando o escolheu se foi agarrando  ao elo amoroso que era especial, tão ansiado, tão procurado e desejado, ao jus do ditado popular "o testo e a panela ?".
Obviamente foi falso remate!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog