quinta-feira, 24 de abril de 2014

Acordei a mitigar poemas, flores, pedras na véspera do 25 de abril ...

Poema de Fernando Pessoa
Pedras no Caminho

Quanta pedra certeira
Tentou derrubar o meu ser
Nos caminhos que percorri!
Umas redondas de voz suave,
Outras de aresta cortante,
Balas de guerra que não pedi.
Mas as pedras que encontrei
Neste mundo de riso e pranto,
Todas elas eu guardei
Juntinhas neste recanto
Do espaço em que vagueio.
Com todas construirei vida
Em amálgama de dor e sonho
E com elas me fortificarei !
Uma mó manual, lamentavelmente ainda não tirei a foto à que me foi ofertada.
 
Porque as Pedras -, tudo o que seja instrumentos líticos nunca me desencantam! 

Poema de Elli Michler
www.ellimichler
Poetisa alemã , nascida em 1923 e morta em 2014 .
Em português:
https://www.donbosco-medien.de/desejo-te-tempo/b-494/212
https://www.donbosco-medien.de/a-vida-as-obras-a-poesia-desejo-te-tempo/b-494/208
http://lyricstranslate.com/en/ich-w%C3%BCnsche-dir-zeit-eu-desejo-te-tempo.html
http://italostephanarquiteto.blogspot.de/2011/04/o-que-eu-te-desejo.html
 


Desejo-te Tempo…
Não te desejo um presente qualquer,
Desejo-te somente aquilo que a maioria não tem:
Desejo-te tempo, para te divertires e para sorrir,
e, se o aproveitares, para fazeres algo por ti.

Desejo-te tempo para ações e pensamentos,
não só para ti, mas também para oferecê-lo aos outros.
Desejo-te tempo, não para pressas e correrias,
mas tempo para que sejas feliz.

Desejo-te tempo, não apenas para passá-lo.
Desejo que te sobre tempo
para a admiração e para a confiança,
em vez de tempo para olhar para o relógio.

Desejo-te tempo para alcançares as estrelas,
e tempo para crescer e amadurecer.
Desejo-te tempo para esperar e para voltar a amar.
Pois não faz sentido adiar.

Desejo-te tempo para descobrires
felicidade em cada hora, em cada dia.
Desejo-te também tempo para perdoar.
Desejo que tenhas tempo para viver!
 

O mesmo poema inspirado num padre e em mim! 

Para ti meu Anjo... Desejo-te Tempo…
Não te desejo um presente qualquer.
 Desejo-te somente aquilo que a maioria não tem.
Tempo, para te divertires e para sorrir;
 Tempo para que os obstáculos sejam sempre superados
 E muitos sucessos comemorados.  
Desejo-te tempo, para planear e realizar,
 Não só para ti mesmo, mas também para doá-lo aos outros.
Desejo-te tempo, não para ter pressa e correr,  
Mas tempo para te encontrares a ti mesmo,  
Desejo-te tempo, não só para passar ou para vê-lo no relógio,
Desejo-te tempo, para que fiques;  
Tempo para te encantares e tempo para confiar em alguém.
Desejo-te tempo para tocar as estrelas,  
E tempo para crescer, para amadurecer.
  Desejo-te tempo para aprender e acertar,  
Tempo para recomeçar, se fracassar.  
Desejo-te tempo também para poder voltar atrás e perdoar.  
Para ter novas esperanças e para amar.
 Não faz mais sentido protelar.
Desejo-te tempo para ser feliz.
Para viver cada dia, cada hora como um presente.
 Desejo-te tempo, tempo para a vida.
Desejo-te tempo, para mim.
Desejo-te tempo. Tempo. Muito tempo!
Tantas ausências! Por falta de tempo…
Tantas coisas adiadas! Por falta de tempo…
 Tanto aborrecimento! Por falta de tempo…
 Tanta desilusão! Por falta de tempo…
 Tanta crise na família! Por falta de tempo…
 Tanta crise na sociedade! Por falta de tempo…
Tanta falta de amor! Por falta de tempo...


Palavras são palavras, prefaciando Maria Betânia...

Eu sei que tenho um jeito
Meio estúpido de ser
De dizer coisas que te podem magoar e ofender
Mas cada um tem o seu jeito
O dom próprio de amar e de se defender
Acusar só me preocupa
Agrava mais e mais a minha culpa
Eu faço, e desfaço, contrafeita
O meu defeito é de te amar demais
Palavras são palavras
E nem nos apercebemos do que dissemos sem querer
E o que deixamos para depois
O mais importante é percebermos
Que este tipo de vida incomum
Depende só e unicamente de nós dois
Eu tento achar um jeito de explicar
Será que consegues me aceitar?
Eu sei que eu tenho um jeito meio estúpido de ser
Mas é assim que eu sei te amar. 
Também não me desilude a faiança, no caso inglesa em relevo flores Davenport
Tão pouco o ferro numa aranha manual com muitos e muitos anos
Convido para um cafezinho numa chávena motivo oriental mas de fabrico inglesa
 DIVIRTAM-SE NESTES 40 ANOS DE LIBERDADE

2 comentários:

  1. Este poema é de Elli Michler www.ellimichler.de ,
    poetisa alemã , nascida em 1923 e morta em 2014 .
    Em português:
    https://www.donbosco-medien.de/desejo-te-tempo/b-494/212
    https://www.donbosco-medien.de/a-vida-as-obras-a-poesia-desejo-te-tempo/b-494/208
    http://lyricstranslate.com/en/ich-w%C3%BCnsche-dir-zeit-eu-desejo-te-tempo.html
    https://lideratuavida.blogspot.de/2010/05/desejo-te-tempo.html
    http://italostephanarquiteto.blogspot.de/2011/04/o-que-eu-te-desejo.html



    ResponderExcluir
  2. Caro Hallochen agradeço a cortesia da visita e a partilha que desconhecia.O que encontrei em 2010 foi um poema de um padre inspirado neste, sem mencionar a autora. Procedi à devida rectificação. Bem haja pelo cuidado em prestar a correta informação.

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog