quinta-feira, 24 de julho de 2014

Para férias alegria estampada na lembrança...

Para férias levo alegria estampada na lembrança da compra em azul ferrete que fiz a pensar na minha mãe, nem sei se vai servir a saia, a mim fica apertada, e será curta ? Pois  ainda por cima de corte cintada e justa-, de feitio na anca sobreposta de nervuras que sei conferem ao andar silhueta ímpar, e na frente com bolsos  falsos de botões à capitão, peça chique à Chanel! E blusa alva esvoaçante em seda branca com decote redondo debruado a brilhantes de manga comprida. 
Acredito seja vaporoso e deslumbrante tamanho desfilar vaidoso, logo a imaginei uma pomba a voar!
A fatiota para  celebrar o  seu bonito aniversário de -, 80 anos , que a servir, ela gostar, e  se atrever a vestir (mais pela altura de a achar curta) sei que vou achar a minha querida mãe, uma rainha!Porque bonita jeitosa, uma boneca, sempre foi!
Em desagravo estreia vestido de malhinha às riscas brancas e azuis mar ao estilo marinheiro, com bolsos enviesados que lhe conferem graça, a prenda do meu marido.
Bem, a minha irmã também lhe prometeu comprar um vestido...Jamais se atreve a sair para procurar, achar e comprar -, só na presença, e ainda assim com alaridos, ditos da boca para fora em rajada pelas palavras insinuantes que soam a denegrir e chocam sempre a nossa querida mãe -, e não devia. Sei que não é por mal, inclusive é  humana e generosa, mas que o faz, faz! A prepotência no falar constante em desagravo é devida a muitos anos de convívio, que se esquece no tempo, com isso de quando em vez ultrapassa limites dos estatutos; mãe e filha, agravados no uso do trato por "tu" que tempo facilitou em desobediência e  faltas de respeito -, e nesse jeito de feitio, resmunga, vomita desaforos, que se mostram quase sempre desnecessários porque magoam...( essas manchas nos braços é cancro da pele...) -, será que em nenhum instante pára para pensar no que diz em tom tão frontal sem carinhos?
Adiante...Porque é muito boa pessoa de bom intimo!
Acordado o piquenique a degustar algures no Parque da Curia no domingo,  valentes vão os anos  que aqui não volto -, quero recordar o lago com barquinhos, a mata e o hotel enquadrados em paisagens de cariz romântico, bucólico e fresco, belos de paz e muita harmonia para se caminhar em admiração extasiante de beleza incomum, que seja a matar tempo para às quatro horas esbracejar na piscina no Luso. Porque o jantar vai ser na Mealhada onde o leitão é rey e claro champanha, um Brut'os da Bairrada. No dia seguinte um bom passeio pelo Buçaco apreciar grandes fetos que sempre me fazem recordar a taça romana onde arde a chama olímpica, naquela frondosa Mata Nacional, há quem lhe chame Tapada, de beleza variada em tonalidades díspares de verdes, luxuriante pelas árvores vindas dos quatro cantos do mundo, salpicada por monumentos Carmelitas, por todos os lados de inegável valor, paisagem paradisíaca  para desfrutar e o que mais nos apetecer  -, a ideia é de tarde  voltar à piscina para de novo à noite em cima da hora se inventa o que se quer fazer!
No dia seguinte saída em rota de voltar a casa, ainda vou ter de fazer o itinerário-, se a maioria não estiver muito cansada, gostaria de parar em Coimbra para visitar o Convento de Santa Clara depois de requalificado e do espólio ali encontrado em vazadouro.
Na casa rural espera-me mau cenário com muita erva para cortar, jardins para limpar, e a casa cheia de teias de aranha-,  pior com a outra  casa onde vou ter de procurar cantos e recantos por causa da cobra que se lembrou de entrar há um mês por um buraquinho pequeno da porta, que alguns viram e nada fizeram... No meu vizinho apareceu uma atrás da casa , seria a mesma?
Sei que tenho de ir à Figueira da Foz, por certo uns 3 dias de praia seria o ideal.E claro visitar o Museu tão perto do apartamento da minha mãe, jamais durante anos ali de férias senti essa vontade, ou tinha, e nunca fui, mas desta vez faço pretensão, e quero ir!
Também  Conímbriga quem sabe para degustar um piquenique, e depois no Rabaçal conhecer o Museu.
O Agroal a banhos e outro piquenique no Parque de Rio de Couros, ou Tomar na Mata das Sete Montes. 
Gostava de uma tardinha soalheira a banhos nas Fragas de S. Simão na Ribeira d'Alge, e outro dia na praia fluvial da aldeia Ana de Avis antes de Figueiró dos Vinhos.
Penso fazer a feira de velharias no 3º domingo na Burgueira na Calda da Felgueira em Nelas, a convite da minha amiga Isa Saraiva.
Por certo ainda mais uma feira...
Horas de fazer o roteiro, as malas e fechar a porta
Então até um dia destes. Divirtam-se. Vou fazer o mesmo, trabalhar, lazer e comer bem, para logo depois começar a pensar na dieta!
Fiquem bem!
A pensar na rola com anilha verde que agora mesmo embateu na vidraça da minha varanda que me assustou, nem sei como não morreu, logo me lembrei da pomba que ontem fotografei numa janela entreaberta em abandono...De sentinela no sítio onde teria sido uma capela de orago a Santo António que se desmoronou no terramoto na Rua Direita, hoje Capitão Leitão em Almada.
Apesar deste verão se mostrar a cada dia trapaceiro ontem havia muito calor, o cão não foi de modas, meteu-se dentro do tanque do repuxo do jardim...
Dei comigo a pensar dentro de água além de refrescar pode mirar o silhar de azulejos do Cargaleiro 56/57 que a câmara de Almada deveria mandar limpar, e o mesmo às paredes na retirada dos graffits.
 Pois alguém tem estado desatento pela falta de manutenção na teimosia de manter esta obra em bom estado de conservação!
BOAS FÉRIAS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog