quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A todos que me lêem o meu bem haja!

Mais uma vez, outra vez,  vou estar ausente muitos dias -, mas antes,  não posso deixar de expressar vivamente, e com bastante agrado, o carinho que este blog tem despoletado nos últimos tempos, sendo que esteve anos quase suspenso, por teimar dar prioridade ao outro-, Lérias e Velharias.
Surpreende-me o número elevado de visualizações  que têm vindo a crescer a um ritmo acelerado... Inexplicavelmente em 11 de junho deste ano ultrapassou os 100.000 visitantes.Neste setembro -, hoje, precisamente, já conta com 174.607, fazendo a média dá qualquer coisa como 768 diárias, havendo picos com mais de 1000...
  • Sinceramente surpreende-me esta interatividade, que agradeço, só me deixa ainda mais vaidosa e orgulhosa.
Chovam aplausos para  todos Vós, ao toque da corneta da minha coleção.
José Ortega Y Gasset dizia “ é imoral pretender que uma coisa desejada se realize magicamente, simplesmente, porque a desejamos".
Só é moral o desejo acompanhado da severa vontade de prover os meios da sua execução. Por isso me atrevi na  minha escrita, num momento difícil na minha vida, como escape e alívio, incentivo da minha querida e boa filha, pela sua mão me iniciou na esfera blogista.
Comecei a medo, amedrontada e receosa, clichês que aos poucos deles me fui libertando, e há muito que sou eu mesma, no meu jeito e modo simples a relatar em tom vivo ou mortiço, assaz acutilante, descritivo, carregado de afetos, sobre temas que me tocam, apaixonam, umas de raiz verdadeira, outras estória, com histórias ao jeito de romance, também críticas construtivas, sem sofismas, sendo neste registo aspirante, ainda assim acreditem, também me surpreendo ao reler -,desculpem a falsa modéstia deste excelso prazer, seja pela capacidade de memórias, seja na exaltação dos meus sonhos, que me deixam completamente feliz, na mesma verdade em saber que a alegria é para o corpo como o sol para as plantas!

Assim, deste modo simples no despertar os afetos, quero transmitir o meu muito obrigado a todos sem exceção -, a teclar vos saúdo carinhosamente da janela aberta para o Tejo, na renovada Ribeira das Naus, na escultura em homenagem a Maria José Nogueira Pinto, do escultor Rui Sanches, em forma de uma casa cortada ao meio, onde o céu é o teto, enquadrada em cenário idílico, a realçar o grande valor nacional desta grande Mulher que foi jurista e na política foi vereadora com o pelouro da Habitação Social, morrendo cedo, aos 59 anos.
 
Na mesma equidade recebi no outro blog uma mensagem privada que transcrevo:

"Partilho consigo a paixão pelas coisas antigas e por tudo o que faz parte das minhas memórias de infância. Aprecio muito o seu blog "Lérias e velharias", que consulto com alguma frequência e reconheço toda a sua dedicação, trabalho e pesquisa, brindando com a exposição e explicação das suas peças, todos aqueles que, tal como eu, as valorizam e as ligam a esse mundo fantástico de recordações interligadas em histórias sem fim. Seria um prazer conhecê-la pessoalmente e trocar ideias consigo. Será possível, um dia destes? Obrigada pelo seu meritório trabalho."
Eu é que agradeço a mensagem, e o elogio Maria Augusta -, surpreendentemente hoje gentilmente me telefonou, estivemos tempos sem tempo, a conversar, como se o conhecimento fosse de sempre .São estes momentos que dão significado à minha vida, e à partilha deles por os achar de alto significado, seja no estímulo do ego também em sentir que vale a pena continuar a fazer o meu trabalho, porque afinal há gente sensível, humana, amiga, desnutrida de vícios como a inveja e maledicência, que gosta das Coisas que eu gosto!
 A todos os que me lêem, na sala de visitas de Lisboa, o meu bem haja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog