quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Resenha de coisas que me prendeu o olhar neste agosto

Recentemente foi apresentado um video publicitário do concelho de Ansião, inserido no Maciço de Sicó e do Eixo ou Circuito da Romanização que abarca entre outras; Conímbriga ,  villa do Rabaçal  no abraço à glória das terras que foram donatárias do Conde Castelo Melhor, anteriormente celebre pela via romana e o caminho de Santiago de Compostela-, a sala de visitas do concelho, Santiago da Guarda.
O vídeo foi lançado por altura das Festas do Povo no mês de agosto. Revela na concepção criatividade e por isso tem qualidade. Claro que falta sempre alguma coisa, porque nada é perfeito. 
Tocou-me a falta de sensibilidade em não mostrar o jardim do Ribeiro da Vide e a escadaria da capela do Santo António, já da requalificação do Nabão o mostram mais do que uma vez...
 Ao que parece foi à posterior retirado da net(?)
O que eu gostaria de ter visto esta imagem no vídeo, mas com os plátanos bem podados, como é uso fazerem...
Um belo percurso que percorro vezes sem conta da minha casa à casa da minha mãe, faz parte da minha infância e adolescência e continua a ser paixão, pelos momentos por aqui vividos!
A manhã mui luminosa foi madrasta para a qualidades das fotos na beleza do sítio...
 Em agosto um imenso manto de folhas dos plátanos plantados pelo meu bisavô, a chamar o outono...
As vezes que por aqui sonhei!
E os cântaros e cantarinhas que enchi nesta fonte...
A placa identificativa  da reinauguração do jardim feita em material perceptível que no tempo se corroí, está neste estado lastimoso, numa terra onde a pedra é rey!
Ansião terra de canteiros sem estátuas nem pedestais em pedra...
A Capela  de Santo António que dá o nome ao Bairro, data de 1643, inscrição numa laje calcária na entrada da sacristia, foi remodelada no inicio da década de 60, ainda me lembro dela velhinha, abobadada, com o altar em madeira pintado a marmoreado em azul. Ao tempo os padres, pelo menos o que deveria tomar conta do património religioso do concelho, deixou que o templo fosse modernizado e com isso perdeu em muito da casta antiga . Hoje só lhe resta o chão primitivo lajeado estando uma parte tapada com a subida para o novo altar. No exterior resta a escadaria, apesar de quatro degraus terem ficado soterrados na subida do piso do jardim, ainda assim é um elemento interessante.
Ao fundo do adro a casa dos meus pais
Flores ou pálas de S. João, que a minha avó Piedade tinha no seu quintal
Arbusto de flor azul tucano, difícil de pegar no quintal da minha mãe, tantas hastes roubadas até que uma...
Na cerejeira do quintal da minha irmã encontrei a gemer do trono este monte de cola, em miúda era a nossa cola derretida num púcaro ao lume, que se apanhava nas ameixeiras rainha Cláudia e numa amendoeira. Senti um prazer enorme retira-la do trono e guardá-la.
Para já para não levar sumiço ficou no oratório em cima da caixa de esmolas!
Era domingo já passava das sete da manhã  à Venda do Brasil, onde a paisagem e as pedras esburacadas deixadas pelo mar me encantam e fascinam.
Ao Rabaçal gosto de avistar ao longe os outeiros em forma cónica; os montes Germanelo e Jerumelo, que me prendiam o olhar desde criança quando aqui passava na carreira do Pereira Marques para Coimbra, por que ao tempo eram praticamente desnudados de vegetação e pela forma, deixava-me a sonhar com o muro de ameias, a pensar em reis e príncipes...
Esta zona se revela extraordinária de beleza incomum , seja por se mostrar semi desértica, com árvores, cedros e pinheiro manso que as conheci há mais de 50 anos de troncos e copas raquíticas, mas neste agora há um costado para além de Póvoa de Pegas, onde o verde forte o cobre na totalidade, ao clamor da vegetação mediterrânica com imenso brilho nos contrastes.
Fotos registadas em andamento...

No regresso ao final da tarde a chuviscar

Ribeira de Alcalamouque , extremo do concelho de Ansião.Na beira da estrada um belo exemplar de casario com balcão em pedra-, varandim em janela de avental, outro mui semelhante assim existe no Alvorge
Olhares na Moita Redonda ao cair da tarde, àquela hora o sol dizia adeus à Horta,
 laranjas com sede envoltas em silvas...perduram no quintal após o abandono

O contraste do muro em ruína em xisto e laje de barro com os esguios eucaliptos
Da Moita Redonda ao Pereiro para visitar uns tios, não pude deixar de reparar numa casa antiga feita em laje e xisto, recentemente adaptada a arrecadações(?).Choca em termos estéticos (?), o dono ter deixado na frontaria, uma porta aberta e o que resta do balcão do varandim da casa.Deve ter um significado!
Lembro dela ainda velhinha e mui castiça, quando vinha visitar a Ti Lucinda. 
Pousaflores, o Largo das Tílias quando deveria ter sido do Pelourinho...
O que resta do belo pelourinho encontrado há anos
No último dia da curta estadia por Ansião, um bom almoço na casa da minha mãe, em família, com os meus compadres.
Entrada: morcela de arroz, presunto com leitão, camarão cozido, queijos, a sopa de feijão à antiga com estrugido de cebola e tomate, e leitão com laranja, arroz, batata frita e salada de agrião e alface. 
SobremesasMousse de chocolate, fruta tropical, a Odete, minha comadre, trouxe um bolo pudim, espetacular, comprei na pastelaria um bom bolo com recheio de noz, arrancou muitos elogios, marca a alta, mas altíssima pastelaria desta terra, de massa finíssima, a desfazer na boca!
E claro brinde com champanhe francês!Graças ao meu tio  Zé Veríssimo, que sempre me oferece!
 .
Não me posso queixar nas coisas que eu gosto, o meu marido fez-me a vontade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog