domingo, 3 de janeiro de 2016

A palavra é prata, o silêncio é ouro!

Segundo o pensamento de B. Russel "não possuir algumas das coisas que desejamos é parte indispensável da felicidade ", pois na verdade todos conhecemos, com certeza, casos de vidas facilitadas que correram mal, disso os media nos vão dando conhecimento, seja talvez o que este filósofo/matemático se queria expressar-, que as "negas" nos fazem melhor e também em dar valor ao que temos, seja muito ou pouco. Já Indira Ghandi foi mais longe quando abençoou a vida dificílima que teve, mas esta é uma excepção à regra, um caso muito especial, uma Mulher como poucas no Mundo.
No Tarot Cigano a carta nº 9 referencia - A chuva, a carta que rege o meu signo neste novo ano de 2016, que representa uma alegria profunda que vem do nosso interior e transborda-, porque a Chuva traz a felicidade, alegria, beleza, fraternidade e união entre as pessoas, o que significa que durante este ano estarei mais consciente das dificuldades e disposta a ajudar quem mais precisa-, nada de se estranhar, afinal sempre me pautei pela fraterna generosidade, sem jamais esperar seja o que for em troca. 
Contudo há ainda uns " fins na minha vida" que devem ser libertadores, senão tornam-se dolorosos pela cruz que se carrega, pelo que é errado o conformismo e o apoio em bóias velhas e frágeis que nada têm de salvadoras, porque é claro, nado mal e posso ir ao fundo ... 
Desde sempre senti esse espírito libertador aceso em mim, mas sendo do tipo conservador, olho para trás e só vejo o passado, apesar de ser um alicerce, é preciso continuar a construir sobre ele, dando mais um passo em frente, caso contrário este novo ano acabará por ser igual ao que terminou, se bem que foi importante pelo nascimento da minha neta Laura-, os meus netos, a maior riqueza inabalável, que me dão muita força e esperança no novo papel da conquista em querer ser avó presente. 
Ditam os astros um ano de feição, basta aproveitar as oportunidades são de ouro.
O lema é manter-me observadora, como o sou constantemente e atenta, mas contudo por vezes porém desatenta, ainda assim vislumbro pelas entrelinhas quando me enganam descaradamente, difícil no momento dizer algo onde assumo atitudes tresloucadas que vão do" 8 ao 80", na maioria das ocasiões deixo-me ficar calada, não tento esclarecer a duvida e o engano, e deixo o local revoltada, só que não esqueço, já noutras vezes falo de imediato -, ainda agora numa farmácia no aviamento de um receituário para a minha mãe, os 40€ que me facultou não foi suficiente, a que juntei 7,20€ da minha carteira e ainda faltavam 5€, deixei o dinheiro em cima da secretária junto aos medicamentos, e vim à rua pedir ao meu marido o diferencial, que me deu uma nota de 10€, entrei de novo em passo apressado, estava o empregado a contar o dinheiro, estendi-lhe a nota, olha para mim e diz-me descaradamente com firmeza - está certo - hirta e calada, incapaz de balbuciar uma palavra que desfizesse o erro e apagasse a dúvida para me devolver a nota de 5€, sai por onde entrei e na rua conferi todos os valores do receituário, de fato não havia dúvidas, o empregado ficou com a demasia de 5€, mas voltar não remediava, já tinha posto o dinheiro na caixa registadora, só se fizesse um balanço/ fecho provisório de caixa, mas havia gente para atender, ao chegar a casa contei o insólito à minha mãe que me responde-,do  pai já se falava que não era de boas contas...
Sinceramente espero mudar esta atitude e falar sempre que me sinta "enganada" para não haver quaisquer dúvidas e enganos, que os há, e devem ser resolvidos e sanados, porque no falar é que está o ganho, e só não se engana quem não trabalha!
Também almejo a cartase de verdades que virão ao de cima, portanto espero concretizar apenas o que é certo, sendo a honestidade fundamental em tudo o que pretendo fazer.
Alvitram ainda um ano de avaliação e de provas em pontos chave se apanhar o sopro de bons ventos vindos na minha direção, auspiciando que as minhas finanças sofram alteração positiva(?), o que anseio há anos, em tramitação, e ainda que a solidão encapuçada pela escrita e letargia, se esfumaça de vez, cansada de dias acrescidos de outros insípidos, geradores de pequenos conflitos de ideias com crises existenciais e desgastantes em conversas de quase nada, que só me envelhece a alma e o corpo, pelo que anseio em definitivo um Ano Novo motivador do ponto de viragem que anseio, a que acrescento ferrenha coragem que sempre me faltou, porém de carater corajosa, e deixar em definitivo para trás o que não me faz bem, vencendo de vez o medo, que me paralisou nos últimos tempos. Espero a confiança em mim própria e capacidade para romper de uma vez por todas com as restrições que me têm limitado e desenvolver o amor-próprio e os sonhos positivos ainda por realizar, como seja vivenciar uma noite em hotel de luxo, fazer um cruzeiro, sentir a brisa do deserto, admirar as pirâmides, tomar banho numa praia paradisíaca de águas calientes, dançar à chuva para me perder nalgum sitio, ainda assim de consciência segura, mas perdidamente, ao jus do casal de meia idade dançante na varanda do Ginjal , em Cacilhas , na tarde do fim do ano, imagem que captei do cacilheiro e inexplicavelmente me deixou roída de inveja, sendo o ciúme coisa que não conheço!
Foto registada do barco, ainda me disseram adeus.
A que acrescento sentimentos de esperança e gratidão, pois desse modo irão atrair para a minha vida novas pessoas verdadeiramente em harmonia ao meu novo estar, esperando que para onde quer que me movimente terei sempre pessoas à minha volta, porque na verdade sempre me pautei por ser nata comunicadora, socialmente intensa, o que pode originar um certo cansaço pelo gosto da conversa e da partilha, debalde ainda se encontra gente muito limitada, curta de ideias, sem laivo criativo e lucidez dinâmica para a discussão de assuntos de cariz cultural e de outros interesses, em desfavorar do que gostam de falar seja a vida alheia, religião e telenovelas... 
Engripada mas de coração sereno, ainda assim mais confiante, sinto que poderei atrair para a minha vida exatamente aquilo de que preciso - mesmo que ainda não tenha consciência exatamente do que é, diz o bom senso que o certo é tomar cuidados, com pequenas atitudes que podem ter interpretações erróneas e problemas de comunicação-, afinal maldito dogma que sempre me atraiçoou !

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog