segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Em reta final as obras do Dr Bacalhau no Espinhal !

Lembro em adolescente a viagem com a minha mãe a caminho de Miranda do Corvo para degustar uma boa chanfana, sem deixar de apreciar a brutal alteração da paisagem de serrania depois da saída de Ansião a caminho da Lagarteira até às Taliscas na descida ao vale do Dueça, com o deslumbre do serpenteado do rio em abundância de águas no inverno e de leito seco no verão, com o costado a poente crespo de vegetação e salpico de casario, para na viragem ao cruzamento ao Pastor, se mostrar  grande várzea verdejante em ligeira subida até à vila do Espinhal, sendo no caminho mais à frente a terra que desde criança sempre ouvi falar "da bruxa da Godinhela", famosa na região de Sicó, ao que sei com a idade passou o condão e varinha mágica a uma familiar...
Já não me recordo como soube das "obras megalómanas na serra do Espinhal do Dr Bacalhau"  o foi em Ansião...O Prof. Dr. José Bacalhau, eminente médico e professor da Universidade de Coimbra, teimou construir uma unidade hoteleira de luxo no desertificado interior, dinamizando dessa forma o turismo na sua terra. Projeto iniciado nos finais dos anos 50 no Monte Calvário, por ter encontrado oposição local, acabou por decidir construir no sítio do Penedo Gordo, na Serra de Santa Maria no Espinhal, debalde não se deu conta que os terrenos onde foi edificada parte desta obra não eram totalmente seus, que mais tarde se gerou outro imbróglio, solucionado em 1973, pela doação por parte da sua herdeira, à Junta de Freguesia.
Não deixa de ser interessante a extraordinária vontade em  adquirir pedras aprumadas de cantaria, colunas, fonte e outras, oriunda de várias demolições, entre as quais do Hotel Avis, onde Calouste Gulbenkian viveu em Lisboa, o que daria a este edifício um cariz erudito, também do antigo hotel Sherton e de um palacete na linha do Estoril, como antes o que ficou conhecido como o "Rei do Lixo" ao comprar a Quinta da Trindade no Seixal, no mesmo intento adquiriu o que restava de mosteiros abandonados, estátuas, uma grande pedra de brasão e também mandou edificar uma pequena torre com ameias
As obras foram iniciadas nos anos 60 mas nunca chegaram a ser concluídas, por falta de capacidade financeira, ainda assim mereceu uma singela inauguração no dia 23 de Maio de 1968, numa Quinta Feira da Ascensão com uma reunião de Confrarias da região, presidida pelo Bispo - Conde de Coimbra, tendo sido um sucesso social.
Com a morte do Dr. Bacalhau em 72, sem descendentes diretos, deixou a " D. Francelina de Jesus, sua governanta e fiel servidora, a legatária em preterimento dos restantes familiares a herança da propriedade.  Sendo uma pessoa humilde e com a melhor índole, resolveu-se pela doação do imóvel e pela venda do mobiliário para angariar os fundos necessários para a construção de uma Biblioteca Museu Prof. Doutor José Bacalhau, o que nunca passou do projecto...A Câmara Municipal de Penela  em 2010 começou a restaurar e catalogar o espólio do Doutor Bacalhau, que julgo estará depositado na Casa da Cultura do Espinhal (?). 
No entanto após o 25 de abril  por o empreendimento estar localizado estrategicamente no colo da aba da serra com uma vista deslumbrante sobre os outeiros a poente do Rabaçal e Ateanha , foi vandalizado e saqueado de tudo o que era possível retirar do edifício central: ferragens, estatuária, estuques decorativos dos tetos, espelhos, mosaicos, madeiras, materiais de construção e, …sendo que também me despertou a curiosidade em 77 visitar o local  o portão estava aberto com entrada para o farto  terreiro,  ao meio uma grande fonte em pedra antiga , em redor do lado esquerdo um aglomerado em banda, que seria alojamento do complexo turístico, o edifício central mostrava-se com fileira de arcadas no r/c, ao centro escadaria monumental em pedra, ladeada por colunatas encimadas supostamente pelos vasos em pedra tipo cálice ( casas baixas na vila, sem qualquer graça, vaidosas na ostentação nos jardins de grandes vasos em pedra, cenário desenquadrando pelo tamanho descomunal ). Pior a Junta de Freguesia nada faz para os recuperar (?) , fácil perceber que foram furtados daqui, segundo se fala, sabe-se que o paradeiro de parte do espólio anima de facto alguns jardins de particulares. A frontaria do edifício central a lembrar o género de panteão romano com óculo, mas afinal mais tarde  noutra visita ao Espinhal, foi fácil interpretar que é semelhante à frontaria da capela desativada de 1893 na vila, não sei se morou perto dela e daí o prazer de a copiar(?).
Outro local melhor não haveria do que esta capela, com merecido restauro, para nela albergar o espólio do Dr Bacalhau, o seu pequeno grande Museu, que lhe era bem merecido, mas sou eu a dizer.
Julgo será a capela do Senhor dos Aflitos (?) Foto tirada em 2014
Foto no site da Junta de Freguesia do Espinhal; tiraram as grades das janelas e caixilhos,  a meia lua em ferro forjado da porta, a placa em pedra com o nome do Largo? Os canteiros e supostamente os pináculos no tardoz.
Quando entrei no edifício central deparei-me com tamanha ruína de fazer dó, só de imaginar  os outrora estuques trabalhados que tinham sido cuidadosamente retirados, o mesmo de mosaicos e azulejos, o que mais me impressionou a magia como o foi conseguido, tendo sido encastrados no cimento (?), que lhes vi as marcas, o salão de baile deveria ter sido fantástico pela beleza do estuque trabalhado em relevos com grinaldas nos tetos e por cima das portas, que disso era nota evidente as marcas,  paredes estucadas em marmoreado, vitrais, ferros forjados com desenhos de finura delicados e corações, sítios de espelhos, fez-me recordar o salão do palácio de Queluz, virado a sul uma torre encimada com pedras trabalhadas a fechar com ameias, uma carateristica de todo o empreendimento que a ela se perfilha e no mesmo remate o torreão do edifício principal.
O contraste do empreendimento no antes  retiradas  do blog Ruinarte
Contraste com o agora
Para sul um pequeno lago a contornar o rebordo da serra ladeado de pedras com buraquinhos, memórias do passado marinho que neste concelho e de Ansião, ainda são muito notórias. Julgo ainda há outro lago artificial maior que chegou a ter gaivotas para se pedalar (?).
Nos finais do passado século, instalou-se no espaço o Patriarche, instituição para recuperação de toxicodependentes, que se propuseram a recuperar o local, mas supostamente o deixaram ainda em pior estado, voltando o espaço de novo ao abandono. Recentemente entregue à Associação Portuguesa de Medicina Preventiva, sem fins lucrativos, com todo o mérito e esforço está neste momento a recuperar todo o complexo, onde se prevê a instalação de uma clínica de medicina preventiva, projeto da APMP, na serra do Espinhal, incluirá: Total de 25 quartos ; consultórios médicos ; gabinetes de fisioterapia e hidroterapia;sala de conferências : restaurante vegetariano; piscina coberta para hidroginástica ; ginásio e capela. Também pretende promover programas como:10 Dias para a saúde ; fins de semana saudáveis; estadias prolongadas ; programa de reabilitação cardíaca ; consultas médicas externas ; medicina física e reabilitação em regime de ambulatório e curso de promotores de estilos de vida saudáveis.Tudo isto tem a finalidade da prevenção e cura de enfermidades, inserido em local estratégico e de grande beleza, rodeado de grandes áreas florestais e de montanha, de aragem perfumada dada pelas flores silvestres; urze, alecrim, rosmaninho, esteva , carqueja, também pelo eucalipto e pinheiro com paisagens verdes de contrastes que convidam ao exercício físico e a passeios por caminhos pedonais, sempre rodeado pela natureza em estado puro.
As obras de recuperação já decorrem há cerca de cinco anos, a maior parte da mão de obra utilizada no restauro dos imóveis, provém de pessoas que voluntariamente dão o seu contributo a este projeto, que tem muitas semelhanças com aquilo com que o dr. Bacalhau sonhara para este local. Embora tardiamente, se fará justiça ao projeto inicial de grande semelhança ao sonho realizado pelo Dr. Bacalhau, fazendo fé em acreditar que onde quer que esteja algures no horizonte, velará pelo seu sucesso!
Curiosidade -, numa feira de velharias em Évora encontrei bilhetes-postais dos CTT de 1895,  faziam parte do espólio de uma biblioteca vendida a um antiquário que durante anos bateu esta região à caça de tesouros, e muita coisa não deveria sair das suas terras, por serem tesouros das suas gentes.

FONTES


http://ruinarte.blogspot.pt/2010/10/as-obras-do-dr-bacalhau-espinhal.html

2 comentários:

  1. Excelente relato. Obrigado. Os meus parabéns. Um comentário: o novo projecto não se destina às medicinas tradicionais mas sim medicina preventiva. Viriato Ferreira, Associação Portuguesa de Medicina Preventiva

    ResponderExcluir
  2. Caro Viriato Ferreira bem haja, pela cortesia da visita,elogio e pela partilha da medicina preventiva que vou já alterar.

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog