quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Alguém vistoria em Almada as podas das árvores no meio urbano?

O Centro Sul apresenta-se sala de visitas de Almada, virada a sul, com má nota na poda de árvores!

Contrate forte da bela rosa nascida em baldio expropriado (?)  junto da nova ponte pedonal  na ligação ao Parque da Paz, com as árvores inseridas no meio urbano, sendo que algumas se mostram podadas, a meu ver muito acima da cota que deveria ser.E outras nem lhes tocaram!
Exemplo de uma boa poda em plátanos no jardim do Ribeiro da Vide em Ansião
No Centro Sul em Almada, o que transparece(?) é que o pelouro a que está adstrito, terá supostamente lacunas sobre a poda, seus preceitos e benefícios, porque não é correto que as árvores  as deixem crescer para o céu, sem limites, a rondar os céus, sendo difícil o seu corte em segurança pelos ramos infindáveis, e ainda os seus malefícios-, folhagem caduca além de entupir sarjetas, com o vento deambula pelos ares, causando transtornos, aos condutores e a gente que passa, e no mesmo com ventania em bailado, no geral se partem galhos e ramos, ou acontece no pior o seu derrube, que causam prejuízos a terceiros, com muros e carros estragados.
Uma poda bem executada logo a seguir à distribuição das ramadas em cúpula arredondada, além de se mostrar uma árvore de semblante airoso mesmo nua, sem rebentos, e com eles desabrochados, aguenta seguramente uns 4 anos para voltar a ser podada (?). O que parece ser a aposta mais certeira para ciclicamente apostarem em fazer uma agenda para o concelho, e assim o manter vestido por igual em todas as árvores do meio urbano,  bem podado e com menos aborrecimentos, seja em acidentes e sua limpeza.
Não se entende o porquê destas árvores que se mostram com poda  alta e os plátanos ao lado nem sequer nada lhes fizeram.Causa ao olhar do mero cidadão no seu direito de cidadania, mau aspeto!
Na Costa da Caparica os plátanos podados muito altos.
Almada na Avª Bento Gonçalves os plátanos a precisar de poda
A rua onde foi a EDP em Almada, assim era conhecida por muita gente, nestes dias para meu grande espanto, as árvores cuja cúpula se mostrava de folha perene lançada em cone, graciosas, foram todas deceptadas!

Será que vão ficar assim? Vão ser arrancadas? Substituídas? Depois de uma semana arrancaram obras, de um lado foram os troncos arrancados, será estacionamento? Faltou placa a explicar a intervenção!
Há outros exemplos de má poda que não se explicam na cidade . 
Avenida, antes da Praça S. João Baptista para quem desce, há esquerda em varandim na calçada existe uma fila de árvores, em que foi cortada a que estava junto do Lar, por estarem as suas ramagens de farta cúpula a invadir o seu telhado, pedindo urgência em ser podada, e o foi a custo, sendo cortada aos bocados, no triplo do trabalho, ora nada que uma boa poda se tivesse sido bem executada anos atrás, teria sido a tarefa certa -, mas claro, foi muito cortada, sem dó nem piedade, sem qualquer estética.
 E as outras em fila ficaram na mesma...
No mesmo preceito outra no praceta na sua frente, no largo da Caixa Geral de Depósitos,  sendo que as restantes se mostram de grandes copas e ramagens compridas.
Uma árvore podada, embora um pouco alta, a seguir outra deceptada, baixa e na esquerda nada fizeram às demais...
Mas afinal o que se passa?
O ano passado em Almada, assisti a um empregado camarário a ditar ordens a um outro, armado de ferramenta cortante, olhavam para as alturas  para saber onde o outro lhe dizia para cortar . Sem moras, o questionei por achar que os ramos ficavam ainda assim muito altos apesar do corte , ao que surpreendentemente me diz, sou alentejano e concordo com o que a senhora diz, mas os meus chefes que estão no gabinete mandam assim, só tenho de obedecer!
Julgo que o errado, menos bem, esteja precisamente em quem tem o poder nas mãos, e que supostamente, ou não sabe, ou não quer saber, sendo por isso este pensar indigno para quem recebe um ordenado mensal, que não denota perfil para o serviço que lhe está adstrito, nem tão pouco se passeia pelas ruas para o vistoriar e  o seu enquadramento estético ( umas podadas outras não) ,  é de gritar aos céus, tamanha incúria numa cidade onde deveria reinara a harmonia e estética !
Um dia neste meu direito de cidadania critiquei  o estado da oliveira vinda da Azinhaga para ser replantada na frente da Fundação José Saramago, na volta alguém com deveres, se sentiu "ameaçado com a critica", e a verdade é que a oliveira, prestes a secar , a voltei a ver bem podada, como o deve ser, de cúpula de bradar aos céus pela beleza, supostamente levaram a sério o meu aviso em fazer workshop na câmara do Seixal, que tem bons artistas.
Passado uma semana e a forte visualização, coincidência ou não, na  Ramalha andavam a podar uma árvore, que estava com as ramagens a bater no prédio, não ficando na medida certa, ainda assim  ficou bem melhor do que o habitual.
Falta perceber se é apenas esta que fica podada ...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Arquivo do blog