domingo, 4 de outubro de 2015

Lanche no ciclo do pão na serra da Portela em Ansião

Seguimos o caminho em terra batida pela Serra da Ameixieira que deveria ser melhorado, nas subidas foi reposta brita e cascalho, mas julgo por se encontrar "mole" não foi calcada, ou o foi mal (?) falta também abrir valetas ou regateiras  para resolver enxurradas.O melhor seria alcatrão na subida inicial até ao limite das antenas(?).
Vista graciosa do miradouro no Anjo da Guarda sobre Pousaflores na serra da Portela

 Casa do Ciclo do Pão
 Pedi autorização para fotografar a exposição permanente de objetos do passado ainda tão presente
Boas escolhas para compras em artesanto da região; trapologia, cantaria, objetos em madeira, bordados, e brindes, sem esquecer o bom pão cozido em forno a lenha, queijo, vinho, mel , azeite e produtos sazonais como as nozes, passas de figo e merendeiras dos Santos.
O pão da melhor qualidade
Mal estacionámos em Ansião ouvi a minha irmã e a nossa prima, a Ana Valente a nos lançar convite para um lanche no ciclo do pão ao Anjo da Guarda, sendo ali prontamente aceite.
Demos cabo de uns carapauzinhos de escabeche, muito saborosos, ainda de um bom naco de queijo da Portela ( apesar de textura esburacado), a queijeira que o prensou em mãos as devia ter quentes (?) a pensar em amores, ao jus do ditado popular-, (mãos frias amores todos os dias, mãos quentes, amores ausentes) desde sempre o melhor fabrico pelas pastagens e saberes desta gente, qualificado como o melhor na região denominada na designação do queijo do "Rabaçal", bom  pão e vinho branco fresquinho, um netar de primeira qualidade.
Quem nos serviu a senhora que explora o espaço, oriunda das Cavadas, muito simpática e boa cozinheira, confidenciou que na véspera aqui esteve um grupo de campistas que usaram o churrasco, há noite havia um jantar  marcado para outro grupo, a que a música juntou na guitarra e violoncelo(?), aqui rolaram lágrimas e choro de tanta emoção sentida, em que uns e outros unidos, em ato solidário, apesar de nada terem na aparente dor, todos limparam a alma do desanimo sentido com a perda-, no caso da recente, do grande e bom amigo da terra, falecido sem explicação(?), o cantador do rancho -, o Augusto.Paz à sua alma.
Ainha acrescentou que educados, pediram licença para fazer barulho(música) a recordar este amigo perdido...Foi uma noite bela onde os sentimentos, afetos e emoções, sobressaíram à flor da pele até ás três da manhã.
Escassas fotos, a minha irmã adversa, nem ousei fotografar...
Recebido telefonema, tivemos de deixar o local em pressas...
Com grande pena de deixar o local, pois o pôr do sol deveria ser escaldante...
Na promessa de voltar.

Fontes
Duas fotos do google

2 comentários:

  1. Viva! Só para alertar sobre o facto de esta Serra ser "Serra da Portela" (nome oficial - nunca existiu outro topónimo que não este). Se puder corrigir o título, agradecia. Nunca existiu uma serra do anjo da guarda, apenas a capela e o miradouro do anjo da guarda. Há algumas pessoas que andam a tentar usurpar este topónimo secular (Serra da Portela).
    João Forte
    Geógrafo

    ResponderExcluir
  2. Caro João Paulo Forte muito obrigado pela cortesia da visita e pelo testemunho em repor o nome do topónimo antigo da serra, que entretanto já corrigi, foi mero lapso, porque no caso até sabia, deixei-me enganar pelo quotidiano de uma maioria que o traz sempre na boca (Anjo da Guarda). Bem haja pela teimosia e pelo carinho como olha pelo património e pelas coisas de antanho se manterem preservadas.
    Um abraço
    Isabel

    ResponderExcluir

Seguidores

Arquivo do blog